manter

Pode ou não pode?

junho 30, 2015

Para facilitar minha rotina, preparei uma tabela com resumo dos alimentos mais comuns que os gatos podem ou não podem comer e uma outra com as plantas tóxicas a serem evitadas em casa com gatinhos.

É bom lembrar que cada gatinho é único. Qualquer mudança na alimentação deve ser discutida com o veterinário antes. Quando vou introduzir um alimento novo, dou uma quantidade bem pequena para ele provar e observo. Como não ainda fiz a transição para a alimentação natural, uso os alimentos naturais como petiscos, ou seja, ocasionalmente, em pequenas quantidades, para não comprometer a equilíbrio da nutrição.

gato

Foto: CKloske

Alimentos – Pode!

Iogurte Natural Integral / Kefir / Coalhada. Dosagem: 1 colher chá/dia à parte ou em uma das refeições diárias. Pode ser oferecido diariamente.

Infusão de erva-cidreira, camomila, erva doce.

Frutas: blueberries (mirtilo), maçã sem sementes, pera sem sementes, pêssego, ameixa, banana, melancia, melão, goiaba, morango, mamão, kiwi, laranja, mexerica, abacaxi, caqui, jabuticaba, romã, figo, manga, maracujá etc.

Cascas: use o mesmo critério do seu consumo de frutas com casca.

Folhas: agrião, catalonia, salsão (e talos de salsão), alface, rúcula, folhas de beterraba, folhas de cenoura, salsinha, manjericão, espinafre.

Legumes: abóbora de qualquer tipo, alcachofra, aspargos, batata-doce de qualquer cor e mandioquinha (batata baroa), beterraba, cará, cenoura, chuchu (não precisa descascar), ervilha-torta ou qualquer ervilha, inhame, palmito pupunha, pepino, quiabo, rabanete, vagem macarrão.

Vegetais crucíferos (2x por semana):  repolho, brócolis, nabo, rabanete, couve-manteiga e couve-flor.

Ervas e Especiarias – alecrim, estragão, tomilho, açafrão-da-terra (cúrcuma), gengibre fresco ralado, orégano, hortelã, manjericão. Frescos e picadinhos na hora são mais nutritivos.

Castanha-do-Pará, nozes, amêndoas e amendoim não são tóxicas, mas devem ser oferecidas com moderação por serem bastante gordurosas.

Azeites e Óleos (complemento opcional): azeite de oliva, óleo de coco e óleo de peixe são gorduras saudáveis. Pode até manteiga sem sal.

Levedo de cerveja em pó – complemento opcional. Polvilhar sobre alimentos. Dosagem: até ½ colher de chá por dia.

tumblr_nqs4ptbkDO1tfvulyo1_1280

Alimentos – Não pode!

Laticínios – leite de vaca e derivados do leite (intolerância à lactose).

Café e chá – bebida/alimento que contenha cafeína.

Chocolate – extremamente tóxico.

Açúcar e Xilitol – adoçante presente em várias guloseimas. Uvas frescas e uvas passas, Abacate, Carambola, Sementes de maçã e pera, Tomates, Batata inglesa ou branca, Berinjela, Jiló.

Pimentão (verde, amarelo) – menos tóxico é o vermelho. Soja, Milho, Cebola e alho, Alho-poró / cebolinha / nirá, Salsa crespa (Petroselinum crispum), Massa de pão ou bolo crua. Grãos, cereais e leguminosas. Arroz, feijão, lentilha, aveia, quinoa, amaranto, cevada, cevadinha, triguilho, soja, milho e centeio. Macadâmias.

Óleos – óleos de girassol, canola, milho e soja.  Não dar fritura, Não dar bebidas alcoólicas.

Com a chegada do gatinho, os vasinhos de planta aqui de cada foram revistos: nada de bico-de-papagaio nem kalanchoe. Até a horta, sofreu baixas: sem cebolinha e salsa. Se tiver dúvida na hora da pesquisa, uma dica é buscar pela denominação oficial da planta por exemplo arnica montana.

DSC_0012

 

Plantas – O que pode

Plantas do “bem”: grama natural, erva-cidreira, camomila, erva do gato, milheto, azevém, manjericão e hortelã.

Grama c/ milho de pipoca auxilia na eliminação de bolas de pelo, seja estimulando a regurgitação, seja como laxativo. Como fazer: Cubra o milho de pipoca com bastante terra e o deixe brotar. Você deve molhar o vaso apenas dia sim e dia não. Do contrário, a terra pode ficar muito úmida e o milho pode mofar.

O tamanho do vaso evita acidentes: gatos geralmente puxam a graminha com os dentes e vasos pequenos, que comportam poucas sementes, certamente vão tombar.
 Um vaso de plástico é o ideal, pois se algum milho mofar, fica muito mais fácil limpar todo o vaso e o reaproveitar.

Decorativas: Blue Echeveria (suculenta), Bamboo, Areca ou Golden Palm, Suculentas, Violetas Africanas.

Outras: Calêndula (Calendula officinalis), Camomila (Matricaria chamomilla), Erva-doce (Pimpinella anisum), Erva-de-gato (Nepeta cataria), Grama-paulista (Cynodon dactylon), Capim-santo (Cymbopogon citratus), Capuchinha (Tropaeolum majus).

Plantas – O que não pode

Açafrão de outono, Alamanda (Allamanda cathartica)
, Aloe Vera ou Babosa, Antúrio, Arnica (Arnica Montana), Arruda (Ruta graveolens)
, Avelós (Euphorbia tirucalli L.)
, Azaleias, Beladona, Beldroega (Portulaca oleracea), Bico-de-papagaio (ou “flor-de-natal”) (Euphorbia pulcherrima), Buxinho (Buxus sempervires), Comigo ninguém pode (Dieffenbachia spp)
, Copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica Spreng), Coroa-de-cristo, Costela-de-adão, Cróton (Codieaeum variegatum)
, Dedaleira, Espada de São Jorge (Sansevieria trifasciata), Espirradeira (Nerium oleander), Esporinha (Delphinium spp)
, Fícus (Ficus spp), a parte tóxica é o látex. Hortênsia, Jasmim manga (Plumeria rubra)
, Jibóia (Epipremnun pinnatum), Kalanchoe, Lírio-da-paz, Lírio-do-vale, Mamona, Ninfa (ou “senhora de louro”), Olho de cabra (Abrus precatorius)
, Pinhão paraguaio (Jatropha curcas), Pinhão roxo (Jatropha curcas L.)
, Ranúnculo, Rododendros, Saia branca (Datura suaveolens)
, Saia roxa (Datura metel)
, Samambaia (Nephrolepis polypodium). Há vários tipos de samambaias: todos tóxicos.
 Taioba brava (Colocasia antiquorum Schott)
, Tinhorão (Caladium bicolor)
, Trombeta de anjo, Tulipa, Vernônia, Vinca (Vinca major)
.

Para saber mais sobre gatinhos clica aqui e sobre cãezinhos aqui.

Sobre plantas tóxicas aos gatos com fotos: Portal Medicina Felina.

Nota do Apezinho: as imagens do post foram encontradas aqui.

Você também pode gostar de

14 Comentários

  • RespondaLucianajulho 5, 2015 at 8:38 pm

    Oi Bel.. eu tenho canteirinhos de salsa e cebolinha na minha sacada e minha gatinha nunca deu bola pra eles.. no máximo ameaçou mordiscar a cebolinha, mas foi só chamar a atenção dela e nunca mais. Não precisas desistir delas. É tão bom temperinhos frescos. Minha única dica é não te-los em ambientes que ela tenha acesso quando você não estiver.
    Do mais, valeu as dicas.

    • RespondaBel Kloskeagosto 19, 2015 at 6:45 am

      Oi Luciana,

      Obrigada por compartilhar sua experiência! Reparei que o manjericão não despertou o interesse dele. Já a graminha de gato, ele adora! Vou dar mais uma chance para salsa e cebolinha em lugares de difícil acesso! :)

  • RespondaDaniela Brentandezembro 4, 2016 at 4:10 pm

    Ola, estava pesquisando alimentos para meu gato que esta com disfuncao renal, quanto mais eu leio mas fico triste e sinto vontade de chorar, por fazer tudo errado e ser desenformada talvez meu gato tenha ficado doente. Peço que pesquise melhor sobre o caqui, que esta na lista de frutas que podem ser ingeridas, na verdade os veterinarios nao indicam a ingestao, pois os gatos nao conseguem digerir essa fruta.

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereiradezembro 30, 2016 at 12:08 pm

      Obrigada pela dica, Daniela! :)

  • RespondaNeidenovembro 8, 2017 at 6:00 pm

    Estranhei qt a babosa, vi indicação dela pra tratamento de pancreatite em gatos. Vc tem certeza disso?

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereiradezembro 5, 2017 at 3:06 pm

      Oi Neide! Segue a resposta da nossa querida Bel. “Quando tenho alguma dúvida sobre plantas, consulto o nome científico no site americano The American Society for the Prevention of Cruelty to Animals: https://www.aspca.org/search/node?search=Aloe%20vera No caso da babosa (aloe vera) aparece como tóxico para gatos. Espero ter ajudado.”

    • RespondaKathariny Riossetembro 30, 2018 at 6:37 pm

      No caso da babosa o gel é usado em tratamentos pra gatos, mas a casca e a parte mais “carnuda” da folha são tóxicas. Por isso não é aconselhável ter em casa com gatos, seria exatamente essa a parte que eles mastigariam. Fora que os espinhos também podem ferir a boca e gengivas dos bichanos.

  • RespondaGuilherme Castanheirafevereiro 14, 2018 at 2:10 pm

    Fenomenal. Obrigado pela ilustre e salvadora contribuição. :D

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereirafevereiro 15, 2018 at 4:54 pm

      Opa, que bom que você gostou, Guilherme!! Beijos pro seu gatinho!

  • RespondaPaulasetembro 30, 2018 at 7:09 pm

    Minha gata adora alface e batata doce. Vai entender

  • RespondaSibele Mapaoutubro 3, 2018 at 8:54 pm

    Meu gatinho está com esporotricose. Estou fazendo de tudo para não o perder. Agora além do Cetaconozol que parei de usá-lo, estou usando um spray para cicatrizar e será que a babosa ajudaria também? Já estou a 2 meses com o tratamento. Qual a dica q vc me daria. Já usei também o açafrão da terra. Estou precisando de uma ajuda.
    Obrigada! :-(

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereiraoutubro 24, 2018 at 9:21 pm

      Sibele, veja as informações compartilhadas pela Bel. Que elas possam te ajudar. Boa sorte! <3

      "O site da Fiocruz que fala da doença e diz que se pode entrar em contato com eles: https://portal.fiocruz.br/esporotricose

      Talvez ela possa conseguir mais informações com eles.

      Esse é outro site que encontrei sobre o tema específico para gatinhos: http://www.sosfelinos.org.br/esporotricose.htm

      “Onde levar um gato com suspeita de esporotricose para ser atendido?

      O animal com suspeita de esporotricose deve ser levado a uma clínica veterinária. Há atendimentos de baixo custo e alguns gratuitos. No Rio de Janeiro, o animal pode ser encaminhado à Unidade de Medicina Veterinária da Prefeitura, que presta atendimento de segunda a sexta-feira, pela manhã e à tarde, com distribuição de números por ordem de chegada. Para mais informações acesse o site http://www.1746.rio.gov.br/ ou ligue para o 1746 da prefeitura.

      A Fiocruz, por meio do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), também oferece atendimento. No entanto, o serviço já está trabalhando com sua capacidade esgotada, devido à grande demanda. Isso significa que, por ora, a Fiocruz não pode atender a novos casos.

      Por sua vez, o Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman também pode contribuir com informações. O IJV fica na Avenida Bartolomeu Gusmão 1.120, em São Cristóvão, Rio de Janeiro. O contato é: ijv@rio.rj.gov.br .

      Sugerimos ainda o contato com a Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais:

      Telefone geral: (21) 3402-0388 (Centro de Proteção Animal);

      Ouvidoria de atendimento: 3402-5417;

      Administração no Centro Administrativo São Sebastião (CASS): 2292-6516;

      Prefeitura: 1746;

      Unidade Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (UJV):ijv@rio.rj.gov.br”

      Esse texto foi extraído daqui: https://portal.fiocruz.br/noticia/esporotricose-pesquisadores-esclarecem-sobre-doenca-que-pode-afetar-animais-e-humanos

      Melhoras para o gatinho!

  • RespondaMárcia Lozanodezembro 5, 2018 at 9:53 pm

    Oi!
    Na parte sobre ervas que podem ser consumidas, está o alecrim. Pesquiso muito tbm sobre limpeza da casa com produtos naturais. O alecrim é considerado tóxico para gatos. Eu faço infusões de álcool de cereais com ervas, e antes de saber sobre o perigo do alecrim, eu limpava meus móveis com a infusão do mesmo. Percebi muitos espirros e vômitos de vários dos meus gatinhos ( tenho 29 gatos).
    Por esse motivo pesquisei melhor essa erva.
    Não aconselho o consumo, pois por experiência própria, até mesmo a inalação é prejudicial.

  • RespondaCarlosdezembro 6, 2018 at 12:26 am

    Oi no caso da esporotricose não é o CETOCONAZOL E SIM O ITRACONAZOL 100ML estou tratando meu gato adulto a 3 meses e ele já está bem melhor.

  • Deixe uma resposta