buscar

Comédia em um ato

junho 14, 2013

E lá cheguei eu, vindo de uma casa antiga de 3 andares, para morar pela primeira vez em um  apartamento. Mas este era diferente, é no térreo, coisa comum em edifícios mais antigos. De cara, você acha tudo ótimo. Não vai precisar de elevador, pode observar a rua como antes, ganha um pequeno quintal que outros não têm e ainda tem um interfone e uma portaria. Hoje em dia, por conta da falta de segurança nos grandes centros, alguns prédios dão a sensação de segurança quando você entra e sai. Ou precisa ficar sozinho. Ou mesmo deixar alguém sozinho. Se tem algo que todo mundo sabe em prédios é de sua rotina. Mas isso tudo é um tanto ilusório. O dia a dia se mostra um tanto perverso nesse amontoado de famílias. E quando se trata de quem mora embaixo de todas, você acaba sendo premiado com mais atenção do que gostaria.

Você chega em casa e quer ouvir seu som, ver tv, ler um livro, mas graças ao elevado barulho, proveniente da proximidade da rua, isso se torna um duelo. Sua privacidade deixa de existir por vários ângulos, a começar pela portaria que é também seu hall (e o de todo o edifício que passa por ali) e que expôe demais seu canto, o que não ocorre com os aptos acima, onde só circulam os poucos moradores daquele andar.

Eu já sei que eu sou o único morador que não pode dar a desculpa que “não estou no momento”, pois antes mesmo de tocarem a campainha, já viram até que programa na tv eu estava assistindo. Minhas janelas são alvo de insistente curiosos e isso acaba por me obrigar a deixá-las quase sempre fechadas. Certa vez enquanto estudava no quarto, duas crianças de alguns andares acima e de aptos que ficavam de frente pro meu – vendo que eu deixara a janela aberta –  tentaram animadamente ver quem conseguia acertar caroços de ameixa em mim.

A LEI DA GRAVIDADE É IMPIEDOSA E LHE TRARÁ AQUELA ÁGUA QUE VAZOU NO 5º ANDAR ATÉ O SEU TETO […]

Existem algumas vantagens, claro. Quando falta energia (coisa cada vez mais recorrente em SP), você não padece de pagar promessa nas intermináveis escadarias, se bem que isso sempre me traz vizinhos mais idosos (que mal me cumprimentam no cotidiano) batendo à minha porta nessas ocasiões, seja pedindo um copo d’água ou qualquer outra desculpa enquanto esperam a luz retornar. Triste é saber que estes mesmos são aqueles que estavam limpando suas toalhas de mesa na janela e deixando meu quintal com uma provisão de alimentos para pássaros por uma semana.

Outro detalhe que é fato recorrente: a saga com os encanamentos velhos do prédio trazem sempre a lembrança que a lei da gravidade é impiedosa e lhe trará aquela água que vazou no 5º andar até o seu teto da área de serviço ou banheiros. E não importa quantos aptos ela irá estragar antes do seu, os vizinhos acima irão esperar que chegue até o térreo para que só então alguém tome alguma providência. “Ok”  – pensa você, “na próxima vez eu não devolverei os tapetes de cozinha que cairão aqui nesta semana” – já tentando demonstrar um certo revanchismo barato.

Tenho algumas regalias também. Por eu não possuir vaga de garagem no meu prédio, isso diminui consideravelmente minha taxa de condomínio, já que os mesmos são calculados pela metragem do espaço apto + garagem. Claro que eles resgataram isso na forma de falta de manutenção de duas grades de ferro (grelhas) antigas que ficam mal acomodadas no corredor de entrada dos carros, que por sinal, passa por debaixo do meu quarto. E meu condomínio tem um considerável movimento de carros de madrugada. É como um lindo barco Viking martelando o compasso dos seus remadores.

Bom, com licença, agora vou fechar minha cortina porque estão xeretando meu texto pela janela!

O Marcos Craveiro é amigo do Apezinho e resolveu contar a sua história depois de ler o post Vai na Certa. Nós adoramos!

Você também pode gostar de

10 Comentários

  • RespondaThomas Jeffersonjunho 14, 2013 at 9:44 pm

    Coisas que só quem mora no térreo sabe mesmo! Eu sofro com isso e com outras coisas por aqui. O jeito é rir mesmo pra não chorar! Abraço!

  • RespondaMarcos Craveirojunho 14, 2013 at 10:38 pm

    Né não, Thomas? e nem pode gritar “joga a mãe” pois o risco de ganhar uma no quintalzinho do apê é grande! ahaha

    Abraço!

  • RespondaMarcio Freirejunho 16, 2013 at 12:38 am

    Morei em um ape terreo que nao tinha portaria 24 horas. Adivinha em qual ape interfonavam
    para abrir e fechar a porta do predio?????

    • RespondaMarcos Craveirojunho 18, 2013 at 10:41 pm

      Pois é, eu comentei esse fato de escolherem o interfone do térreo no comentário que fiz no post do Apezinho intitulado “Vai na Certa”.
      Como visto, eu não estava exagerando…

      Abs

  • RespondaCatarinajunho 26, 2013 at 10:40 pm

    Além disso tudo, ainda temos que escutar os passos do morador de cima, e o meu também tem um cachorro, o que só piora a situação. É bolinha quicando pra um lado, bolinha pra outro… hahaha, mas ainsa assim, adoramos o primeiro andar.

  • Respondamarjoriejulho 22, 2013 at 12:51 pm

    Moro no térreo. E, mesmo após seis anos e meio, sofro e não me acostumo com a falta de privacidade e mais ainda, a falta horrorosa de respeito das pessoas.
    No meu condomínio, terra de ninguém já que entra e saem síndicos incompetentes e paus mandados, sou refém de dois vizinhos. Uma família ao lado, que vieram de casa térrea, em periferia (nada contra periferia, mas aqui na cidade onde moro, e mais precisamente no bairro de onde vieram, os hábitos são muito diferentes, com portas abertas, vizinhos e parentes sem fim entrando e saindo, falando alto, e deixando à mostra panelas, sujeiras, etc. Não sou melhor que ninguém, mas portas fechadas é o mínimo, não é?)e de uma vizinha mal amada, frustrada, sozinha, que não tem amigos porque é uma louca e para suprir essas carência adquiriu uma mania de limpeza irritante. Dia e noite, noite e dia, barulhos sem fim e o respeito….ah, esse senhor lindo e fofo, perdeu-se no mundo e para essa gente nunca mais deu as caras… Infelizmente só vejo uma saída pra mim: mudar de ap.

  • RespondaKarynejulho 23, 2013 at 10:37 am

    Gente, to assustada!
    Meu apê será no térreo!
    Tenho um quintalzinho mas é murado e todas as janelas ficam dentro do quintal..
    o que penso que pode acontecer é jogarem alguma coisa lá, mas só… nao dá pra ninguem ficar me espionando, a nao ser o prédio da frente nos andares mais altos, mas já pensei em resolver isso colocando um telhadinho, ou cortina por enquanto mesmo.
    Confesso que me assustaram! rsrs
    Será que tô iludida, que nada disso vai resolver?

  • RespondaAlinefevereiro 24, 2016 at 10:19 am

    Estou escolhendo um apê. Queria térreo por causa do joelho do meu noivo. Mas ele não tem quintal, as janelas são voltadas pra rua, e fica bem na entrada do condomínio. Estou achando que vou pegar mesmo o 1º andar, não quero ter que ficar o dia todo com janelas fechadas. E a escada é pequena, um lance apenas. acho melhor ele subir um lance de escadas do que sofrermos com tudo isso.

  • RespondaSamantha mestersetembro 7, 2017 at 11:33 am

    Moro no terreo e depois que adotei 2 cachorrinhas meu sossego acabou pq elas ficam nervosas com gente passando no corredor da entrada o dia todo. Vieram entao as reclsmacoes dos vizinhos e a parte que mais odeio no mundo: bitucas de cigarro aqui no meu quintal. Moral da historia: depois de apenas 4 anos morando aqui,achando que seria pars o resto da vida, decidi mudar para uma casa MESMO seja ela terrea ou nao, sem vizinhos em cima, embaixo e de todos os lados, de modo que eu tenha a propria vida sem ser obrigada a cumprimentar ninguem que eu nao queira e nem pagar taxas e mais taxas de condominio. Torco para eu vender logo, estou tentando desde janeiro mas acredito que logo o farei.

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereiraoutubro 2, 2017 at 7:34 pm

      Oi Samantha!! Tomara que você consiga realizar seu projeto logo. Porque ninguém merece bituca de cigarro dentro da nossa casa! :) Beijos!!

    Deixe uma resposta