mudar

Kit de mudança zen

junho 4, 2013

Essa pode ser a primeira vez que você “está de mudança”, mas mesmo se fosse a décima, a primeira coisa que tenho a dizer é: que você seja muito feliz nessa sua nova fase! O ato de mudar de casa, de vida, de amor, ou até de opinião nasce muito antes do momento da mudança em si e todo esse processo pode ter sido bastante longo. A gente se conhece mudando. Respire fundo, sorria, agora é só a hora do trabalho braçal mesmo.

Se está indo para seu apezinho, eba, tudo será diferente: desde o espaço interior da casa, até a localização de tudo e as relações que você vai estabelecer com o novo mundo ao redor. A gente descobre e (re)aprende tantas coisas! Por isso, antes de começar a empacotar o que você chama de seu, minha primeira grande pergunta: você quer mesmo reproduzir seu velho lar na sua vida nova? O que de lá você precisa realmente levar e por quê?

Algumas vezes, realmente larguei tudo o que tinha pra trás, vendi o que pude para capitalizar um pouco e, de fato, doei quase tudo. Essas foram as mudanças mais gostosas. Quando tudo pode ser novo, a gente passa a valorizar coisas diferentes. Talvez a janela escancarada com o novo raio de sol seja o suficiente para lhe fazer muito feliz! :)

Outras vezes, fiquei mais apegada a uma coisa ou outra que teve importância pessoal. Da penúltima vez que mudei de casa, resolvi contratar uma transportadora. Posso dizer que essa foi a mudança que me deu mais trabalho, a que saiu mais cara e a que foi menos divertida de todas. Como já passei pelos dois extremos, ouso dar algumas dicas.

0. Aprendendo a dizer sim e a dizer não – muita gente bacana e que te ama vai querer dar uma forcinha. Na minha primeira casa, ganhei um fogão novo, uma geladeira usada e uma máquina de lavar. Sensacional! Essas coisas são realmente úteis. Mas já me ofereceram um sofá velho que eu não gostava. Pensei bem e disse: não, obrigada. Um sofá verde furado na sala é um problema para o resto dos dias!

1. Ultrabásico – sua nova casa pode ser completamente diferente. Mesmo sem grana, recomeçar com um apê quase vazio é uma delícia. Dizem que quando Steve Jobs, o fundador da Apple, era jovem, estudante e solteiro, ele morava em uma casa ampla e que só tinha um colchão na sala. Ele gostava de ver o espaço livre. Aprendi que realmente a primeira coisa que preciso é um colchão e uma garrafa de água que vou comprar na nova padaria.

2. Roupas – abra seu armário e coloque de um lado da cama tudo o que você não usa há mais de um ano. Pode ter sido caro, pode ter sido lindo, pode ainda até ser. Pense se realmente vai usar de agora em diante. Um ano sem usar é uma boa referência de que você não precisa daquilo. Se tiver coragem, não olhe duas vezes o monte de roupas e coloque em um saco para doação. Se tiver uma peça ou outra que tenha mais apego, ué, carregue e deixe no seu novo armário por mais um ano. As roupas, normalmente, eu levo em malas de viagem. Faço uma outra mala separada para lençol, cobertor e toalhas, sempre selecionando para não levar o que não uso ou que não gosto para a nova casa.

3. Básico – se você já tem uma geladeira e um fogão, leve. Não sobrevivemos sem esses dois eletrodomésticos por muito tempo. Se você tinha fogão/geladeira mas dividia com outra pessoa, seja generoso com você mesmo e deixe aquela coisa cheia de memória com eles! Discutir por mil reais é mais caro que comprar outro. Porém, se um parente tem um fogão e uma geladeira velha encostado, aceite. Um custo a menos nessa fase inicial pode ser bom. Na mudança, lembre-se de prender as portas com uma fita adesiva, mas deixar tudo bem seco e limpo.

A CAIXA VAZIA ESTÁ CHEIA DE AR, QUE BOM!

4. Livros, cadernos e CDs – na última mudança, metade dos livros vendi no sebo e ainda fiz uma graninha, acho que uns 200 reais. Ainda tenho alguns cadernos com desenhos e anotações que gosto. Esses eu guardo. Os CDs, deixei todos pra trás com uma tia que gosta de CDs e escuta de verdade. Eu não faço mais isso desde que tenho tocador de MP3 e passei a ouvir rádio online. O que você decidir levar, coloque em caixa(s) com etiqueta(s) para saber o que tem dentro. Isso ajuda muito.

5. Coleções – essas são mais difíceis. Tem gente que tem coleção de vinil, de latinha de refrigerante, de cartão-postal, de selo, de carrinho, de boneca, de arte. O que fazer? Isso só você pode responder e realmente ninguém tem nada a ver sua decisão. Você sabe se a coleção ainda tem significado ou se é algo que já perdeu importância. A dica é: não carregue coisas do passado somente por carregar. Algumas coleções precisam de embalagens especiais (quadros, por exemplo), outras, você pode colocar na mesma caixa e etiquetar como frágil.

6. Cozinha – se você já tem panelas, talheres, copos, canecas e puder, leve. Mesmo que pareça fácil comprar de novo, essa vai ser uma boa economia e você não ficar em apuros na hora H sem um copo para beber água. Na mudança, eu sempre adesivo as caixas da cozinha com cuidado, alertando onde estão os copos, pratos, panelas e outros utensílios. E as comidas? Por favor, um mês antes de mudar pare de fazer compras e coma tudo! Se você tinha um estoque preparado para uma fatalidade, dê uma festa! Ficar levando tempero velho e saco de farinha aberto é uma furada! :)

7. Banheiro – o que você pode precisar levar do banheiro? Eu aprendi a fazer uma caixa de primeiros-socorros, com curativos e coisas importantes. Essa eu deixo sempre bem etiquetada, porque pode ser necessária quando a gente menos espera. De resto, é perfumaria e escovas. Nada que ocupe muito espaço. Uma caixa para o banheiro deve resolver tudo.

As outras coisas, como móveis para sala, prateleiras, espelhos, sofás, mesas, cadeiras, pense com calma. Se você já tem ou fizeram uma oferta de doação, mesmo assim reflita se elas tem a ver com a sua nova vida. Se sim, economize. Se não, arrisque-se a viver sem elas até descobrir sua nova cara. Também será gostoso recomeçar em branco. No meio de mudanças, a gente aprende que, na verdade, nada é para sempre mesmo.

Trilha sonora escolhida no loop e no alto:

Adoro a versão em português de Changes, do David Bowie, do Seu Jorge! Acho animada e engraçada pra fazer mudança! Escute ela aqui. :)

Você também pode gostar de

16 Comentários

  • Responda gessica junho 5, 2013 at 12:31 pm

    Adoreeei.. ainda não estou em fase de mudanças de casa, mas uma hora vou passar por isso.
    Seu texto é uma delicia de ler..

    bjinho

  • Responda gessica junho 6, 2013 at 9:58 am

    Patricia.. obrigada por ter ido lá.. Ainda to começando e tenho muito a evoluir..rs
    Espero que alguma hora consiga ter a organização de vocês e um conteúdo tão bom quanto..
    bjinho

  • Responda gessica junho 6, 2013 at 10:14 am

    Ah Patricia.. amei este site de musicas que você indica.. este cd do seu Jorge é uma delícia, não conhecia, mas já entrou para a minha lista de favoritos..rs

    bjinho

  • Responda Patrícia junho 6, 2013 at 1:35 pm

    :) que legal que gostou da versão brasileira do bowie! acho divertidíssima. grooveshark salva durante o dia, junto com algumas rádios online: radiorua é bem interessante, vale checar! um beijo, pat

  • Responda Gustavo junho 7, 2013 at 7:20 pm

    Excelente post. As dicas são muito úteis pra todo mundo, parabéns! O blog está muito bom, inovador! Sucesso!

    • Apezinho
      Responda Apezinho junho 7, 2013 at 9:00 pm

      Oi Gustavo

      Muito obrigada!

      A Equipe Apezinho manda beijos pra você!

  • Responda Mateus junho 27, 2013 at 2:02 am

    post muito gostoso de se ler, e as ideias são ótimas para quem esta nessa transição de novo lar (obs: como eu estou). :D

    • Responda Patrícia julho 30, 2013 at 10:57 pm

      Mateus, querido, olha que coisa engraçada. Eu mesma tive que viajar a trabalho nesses tempos e fiz o método menos é mais. Tá bom assim. Só me arrependo de nao ter trazido pra essa temporada minha barraca.

  • Responda Elisabeth junho 27, 2013 at 9:46 pm

    Adorei o texto! Estou mobiliando um ap, pois casarei em breve. Meu noivo e eu temos várias ideias e tenho vontade de comprar tudo que vejo. Gostei da parte que você diz que a mudança é boa para descobrir que somos e que precisamos de pouco.
    Bjos

    • Responda Patrícia julho 31, 2013 at 10:47 am

      Elisabeth! Adorei seu comentário!! É mesmo uma aventura começar levinho, ainda mais com o namorado e marido. É uma delícia escolher juntos, decidindo por preencher espaços ou deixá-los vazios também. :) Alegria, alegria, sempre!!

  • Responda Julia outubro 14, 2013 at 3:13 pm

    Oi Patrícia!
    Eu to comprando meu primeiro apê com meu marido, depois de ter morado três anos de aluguel… Apesar de já ter feito muitas mudanças com meus pais, é totalmente diferente agora (:
    Seu blog me fez pensar em quaaantas coisas eu tenho que ver (tipo, tenho um monte de livro que não leio e nem vou ler mais, eu acho; vou levar num sebo! ;P) e resolver logo! Me mudo no mês que vem e nem arrumei uma caixinha.
    Obrigada pela ajuda!

  • Responda Patrícia outubro 28, 2013 at 4:48 pm

    Oi, Julia! Que legal que você gostou. Eu mesma tou arrumando minha mala de volta pra casa e tou deixando algumas coisas pra trás.
    Beijos!! Pat

  • Responda Alessandra de Paula outubro 30, 2013 at 5:10 pm

    Prestes a fazer uma nova mudança, lembrei do Apezinho e de possíveis dicas. Qual não foi a surpresa agradável ao saber que o texto era seu! Venha nos visitar e brindar com sua leveza. Beijos do Rio de Janeiro.

    • Responda Patrícia outubro 31, 2013 at 3:16 pm

      Ale!!! Voce tá de mudança? Tenho certeza que seu novo apezinho vai ser ainda mais gostoso! Eeee Bons ares e amor!! Cheguei ontem à noite e ainda tou tonta de alegria de dormir no meu apezinho depois de tanto tempo. Tinha cerveja gelada na geladeira que foi muito bom!! hehe Vamos almoçar <3? Nem precisa ser no Tacacá do Norte ou açaí! <3

  • Responda Juliana novembro 18, 2013 at 2:05 pm

    Que texto gostoso! Estou indo para a minha – acredite – 22ª mudança de casa, desde que nasci, claro. Já passei pela fase de odiar mudanças e agora já entrou no sangue, faço mais relax. Mesmo com toda essa “experiência” (rs), seu post foi muito útil! A próxima mudança é tb uma mudança de fase na vida, que tá repleta de coisas boas. Já to apaixonada pelo meu apezinho novo e vou mudar assim: levando muito pouco, quase nada, pra recomeçar uma vida nova! Parabéns e obrigada, amo este apezinho aqui tb! :-)

    • Responda Patrícia novembro 25, 2013 at 12:08 pm

      Oi, Juliana!! Boa nova fase :) Tem tanta coisa que a gente vai acumulando e nao precisa, né? Acho que a gente só se dá conta de tudo que tem quando faz uma mudança mesmo. Tento, e me iludo, fazendo uma seleçao de tempos em tempos para doar o que não uso, mas mesmo assim, a gente sempre tem muito mais do que precisa pra viver.
      Beijo grande, Pat

    Deixe uma resposta