manter

Queimou a lâmpada

julho 22, 2013

Antes de mais nada, deixa eu te falar coisas básicas sobre lâmpadas como potência, base e tipo!

A potência aparece escrita na lâmpada em W (Watt) no topo ou na base. A gente a escolhe conforme o seu uso. As potências mais altas iluminam mais, as mais baixas são recomendadas para leitura e iluminação auxiliar. Algumas luminárias (sejam pendentes ou de mesa) recomendam o uso de lâmpadas com potência máxima de 40W, outras 60W. Na dúvida, eu compro a potência mais baixa, mais baratas e econômicas. ;-)

A base (parafuso de Edison) é o encaixe, a conexão da lâmpada com o bocal da luminária. A mais comum é a E27 (mais larga). Algumas luminárias menores possuem a base E14 (mais estreita).

baseE27Base E27

 

 

 

 

 

 

baseE14Base E14

 

 

 

 

Você já reparou na iluminação da sua casa? As lâmpadas já estavam quando você alugou o imóvel? Que tal tornar seu cantinho ainda mais aconchegante e mais econômico com a troca da lâmpada?

Em casa, a gente usa basicamente 3 tipos de lâmpadas: incandescentes, fluorescentes e LEDs. A distribuição por cômodo, em geral, fica assim: fluorescente no banheiro, na cozinha e na área de serviço; nos demais, incandescente.

Para uma decoração mais elaborada podemos contar com as halógenas: tipo cápsula, PAR, dicróica, mini-dicróica – mais caras que as comuns, consomem mais energia e esquentam bastante o ambiente. Algumas dessas possuem a mesma base (E27) da incandescente comum, como a PAR 20, que podem ser usadas em qualquer cômodo da casa. Sua luz é bonita, brilhante, direta, e dá um toque diferente ao ambiente. Se você quiser criar um ambiente mais atraente, pode usar uma PAR 20 no pendente sobre a mesa, por exemplo.  As halógenas também podem ser substituídas por LEDs, que são econômicas e não esquentam o ambiente.

A tendência é substituir as incandescentes por fluorescente ou LED por serem mais econômicas. É bom saber que as incandescentes comuns deixarão de ser comercializadas até 2016 por sua baixa eficácia energética.

Para fazermos essa substituição, conhecer a temperatura da cor, cuja medida é Kelvin (K), vai nos ajudar a criar um ambiente mais agradável. Quanto mais alta a temperatura, mais branca e fria é a luz.

As incandescentes e halógenas possuem uma coloração amarela (na faixa de 2.700K). Já as fluorescentes e LEDs apresentam temperaturas que variam de 2.700K (amarelo alaranjada/ warm white/ branco quente) a 6.000K (branco azulada/branco claro), conforme o fabricante. Fiz um esqueminha a partir dos sites abaixo mencionados para ajudar na visualização.

Desse modo, as fluorescentes e LEDs de temperaturas mais baixas são mais apropriadas para o uso em salas de estar, salas de jantar, quartos ou para leitura.

Eu gosto desta coloração (temperatura mais baixa) também para o banheiro, pois o ambiente fica menos frio, menos azulado. Já na cozinha e na área de serviço, prefiro as de temperatura mais altas (mais brancas).

luzNessa troca, vale observar também o tamanho da luminária em relação à lâmpada. Assim você evita que parte da lâmpada fique para fora da luminária ou mesmo esta não caiba. Você já deve ter visto por aí fluorescentes compactas para fora da luminária…

Você encontra lâmpadas em supermercados (as mais comuns). Se quiser maior variedade é melhor procurar em lojas como Amoedo, Leroy Merlin, C&C ou lojas especializadas em iluminação.

Por fim, quando você se mudar, é só levar suas lâmpadas e devolver o imóvel com as que recebeu. Para ajudar na sua escolha:

Previous Image
Next Image

Incandescentes – as mais usadas. As mais comuns são as transparentes – que iluminam mais e as brancas opacas (leitosas) – que geram uma luz mais suave e agradável aos olhos (não dá para ver o filamento). Há também aquelas espelhadas, refletoras, que direcionam a luz para baixo (mais utilizadas em spots) ou para os lados.

Apresentam as seguintes potências: 60W, 40W, 25W e 15W. As potências mais baixas apresentam os formatos de vela e de bolinha (mais simpático quando a luminária é pequena). As bolinhas transparentes são usadas em geladeiras e fogões.

Fluorescentes – para uso residencial, as principais são: as fluorescentes tubulares que precisam de reator, cuja conexão se dá por pino, e as compactas (CFL) com rosca (E27), que vem substituindo as incandescentes.

A grande desvantagem está no seu efeito nocivo à saúde e ao meio ambiente face a presença de mercúrio em sua composição, necessitando de atenção em caso de quebra e no momento do descarte, que deve ser diferenciado (como as pilhas e baterias).

As CFL’s apresentam diversas potências: 5W, 8W, 11W, 14W (para leitura) e 16W, 20W, 21W, 23W (para uso geral); e temperaturas mais baixas (branco suave, amarela e quente) e mais altas (branco mais claro, azulado e frio).

Vale a pena ler essas notícias a respeito: Onde Descartar e Alerta!

LED – O diodo emissor de luz ou LED – Light Emitting Diode é um componente eletrônico que gera luz com baixo consumo de energia com múltiplos usos. Os preços  para compra ainda são mais altos.

LED possui amplo uso doméstico, seja no display de produtos eletrônicos, em interruptores, nas luzes de Natal, seja em lâmpadas – substituindo as incandescentes comuns, fluorescentes compactas ou tubulares e halógenas (PAR, dicróicas, etc).

Em geral, apresentam as potências de 5W a 12W, mas há potências menores – 2W, por exemplo. Podem ser multitensão – atende a 127V e 220V.

Dos 3 tipos acima, LED é a lâmpada de maior eficiência energética, logo a mais econômica, com vida útil média de 25 anos, não gera calor para o ambiente e não possui mercúrio nem chumbo. Sua luz tem uma qualidade superior a da fluorescente, deixando o ambiente mais agradável. O alto custo na aquisição desanima, embora torne-se mais barata a longo prazo – se você considerar o gasto com a conta de luz e as trocas futuras.

Aqui tem um comparativo de gastos.

Se você quiser conhecer mais sobre o assunto, o site dos fabricantes oferecem muita informação: Osram, Philips e Stellatech.

Obs: Imagens retiradas dos sites acima e do Google Image. Os produtos e lojas aqui mencionados são os que conheço, não se trata de publicidade.

Você também pode gostar de

14 Comentários

  • Responda Diego Fávero julho 22, 2013 at 5:40 pm

    rs nossa, que difícil!

    • Apezinho
      Responda Apezinho julho 23, 2013 at 5:27 pm

      Não é, Diego?

      Ficamos perplexos com tantas informações!

      E o post da Bel é um MBA!

      Beijos!

  • Responda Evelyn Moreira julho 23, 2013 at 2:42 am

    Olá! Todas as lâmpadas dos comodos podem ser fluorescentes, basta escolher entre amarela ou branca. Muito cuidado tb na hora de pegar a lâmpada na prateleira, verificar se é 110v ou 220v!
    Amei seu site. Sou designer de interiores e tenho um Ateliê de Patchwork.
    Evelyn Moreira

    • Apezinho
      Responda Apezinho julho 23, 2013 at 5:26 pm

      Oi Evelyn, obrigada pelo elogio e pela dica!

      Beijos e venha sempre nos visitar!

  • Responda Anderson agosto 5, 2013 at 5:10 pm

    Ótimas dicas, apenas uma observação: o que ilumina não é a quantidade de watts de uma lâmpada, essa informação dita apenas o consumo. O que ilumina é a quantidade de lúmens (fluxo luminoso), e é comum encontrarmos no mercado lâmpadas que consomem mais watts e emitem menos lúmens. Ex. Lâmpada de 15 watts com 777 lúmens (GE) e lâmpada de 13 watts com 841 lúmens (Empalux). Isso significa menos consumo e uma iluminação melhor e mais eficiente. Parabéns pelo site!

    • Apezinho
      Responda Apezinho agosto 5, 2013 at 10:16 pm

      Oi Anderson

      Muito obrigada pelo esclarecimento e pelo elogio!

      Você acha bacana a gente alterar o texto? Como ficaria?

      Beijos da equipe do Apezinho!

  • Responda Alina Schippers outubro 6, 2014 at 11:07 pm

    Oi Bel!
    Tenho uma dúvida… estou me mudando de São Paulo (onde meu apto era 127V) para Recife (onde tudo é 220V) e gostarias de saber o que fazer com as luminárias/abajurs. Posso somente trocar as lampadas por 220V ou precisarei trocar todas as luminárias e/ou comprar transformadores.
    Obrigada,
    Alina

  • Responda Edilza janeiro 9, 2015 at 6:56 am

    Cápsula g9 60 w/127 v g9 esquenta muito ela gasta mais energia? Será que posso trocar por outra que não esquete tanto qual?
    Uso 02 cápsula no meu ventilador de teto gostaria de saber se gasta mais que uma lâmpada normal

    • Daniela Pereira
      Responda Daniela Pereira janeiro 29, 2015 at 1:20 pm

      Oi Edilza, vamos perguntar para nossos amigos e te contamos, ok? Beijos!

  • Responda Adriana L setembro 27, 2015 at 2:50 pm

    o que sao lampadas bipino? Sào econômicas? obrigada

  • Responda Pablo julho 1, 2016 at 6:56 pm

    CFLs além de produzirem lixo tóxico, NÃO podem dimerizadas, salvo raríssimas exceções. Eu particularmente tenho halógenas e não pretendo migrar tão cedo até que as lâmpadas de LED disponíveis no mercado nacional possuam mais qualidade e preços condizentes com a realidade. Já vi LEDs como IRC inferior a 80, sem contar que nem todas entregam a vida útil prometida.

    Quanto a cor, não posso com temperaturas de cor mais altas (esp. acima de 5000K). As chamadas lâmpadas brancas puxam as cores para o azul, distorcendo os tons de pele, remetendo-nos a um ambiente hospitalar. Outrossim, além de esteticamente feias, tais lâmpadas retardam a produção de melatonina. O nosso organismo pensa que ainda é dia, quando o sol já se pôs, visto que tais lâmpadas brancas simulam a luz do dia. Grave erro comete aquele que opta por tal tipo de iluminação num dormitório. Quem não usa dimmer, procure por lâmpadas compactas amarelas, essas são facilmente encontradas, e não custam mais que as brancas.

    • Daniela Pereira
      Responda Daniela Pereira julho 13, 2016 at 7:30 pm

      Oi Pablo, muito obrigada pelas informações, super úteis! Beijos e voltem sempre!

  • Responda Washington outubro 31, 2016 at 9:34 pm

    Estou substituindo todas as lâmpadas de casa (incandescentes e fluorescentes) por LED. O preço caiu muito. Aqui em São Paulo, na região da Santa Efigênia tem lâmpada de LED a partir de R$ 8,00. Há em vários formatos.
    Tenho gostado bastante das lâmpadas de 3000 k. É um amarelo mais claro, tipo suco de abacaxi. Fica uma cor bonita e aconchegante. 2700k é muito amarelo e 6500 k muito branco.

    • Daniela Pereira
      Responda Daniela Pereira novembro 4, 2016 at 7:37 pm

      Adoramos as dicas, Washington, vamos testar lá em casa! :) Beijos e volte sempre!

    Deixe uma resposta