manter

Feliz sem dinheiro

março 4, 2015

Adoramos quando nosso amigo Dario, do SOS Solteiros (hoje Almanaque SOS), vem nos visitar! Seus posts são sempre divertidos! Dessa vez, ele nos ajuda a cuidar do nosso (nada grande) orçamento. As imagens lindinhas são da Floriografia, pra atrair boas energias e dar um toque feminino ao texto masculino! :)

***

Tudo parecia bem. O aluguel do apartamento encaixa no seu orçamento, você fez várias contas e, tudo indicava, a grana era o suficiente para a sua alforria: sair da casa dos pais. Ser um solteiro ou solteira em todo o seu esplendor e direito. Mas a realidade do dia a dia ameaça esses momentos de euforia. O dinheiro está curto e o monstro das dívidas promete sair do armário. Veja aqui quais são os principais desafios — e como enfrentá-los. Se é que isso é possível.

Aluguel – Provavelmente é a sua despesa mais alta. Uma solução é dividir o apartamento. A outra é sublocar por temporadas curtas. Você cobra menos do que um hotel, mas muito mais, proporcionalmente, do que o aluguel. Finalmente, uma terceira opção: dormir numa Kombi.

Comida – Quantas vezes você já deixou de comprar palmito por ser mais caro do que uma refeição? Você precisa comer, o resto é supérfluo. Muitas vezes é mais barato comer num restaurante de quilo do que preparar sua própria comida. Além disso, faça uma dieta: você anda gordo mesmo.

Baladas – Se você é daqueles que gosta de gastar 30 reais para entrar numa balada cheia de gente, barulhenta e cara, é melhor pensar em alternativas. Há muitas opções baratas e até gratuitas. E quando for beber com os amigos, dê o golpe “esqueci minha carteira”.

Roupas – Você quer exibir roupas de grife, né? Bacana. Então volta pra casa da mamãe. Ou compre roupas em loja de departamento e supermercado. Duram menos, claro. Mas você acha até umas legalzinhas. E paga em dez vezes sem juros. É um conforto pagar parcelas de cinco reais.

Mulheres – A regra é o homem pagar a conta. Mesmo aquelas que insistem em dividir esperam, no fundo, que você assuma todo o prejuízo. Então esqueça jantares em restaurantes. Você mesmo cozinha para ela. Só saia com elas para ir ao cinema (se possível, nos dias mais baratos), passear no parque e para beber, já que mulheres não bebem tanto (pelo menos não a maioria). Alegue que você é um homem caseiro. Tem seu charme.

10801927_1623329694552713_1845308050940599516_n

Transporte – Andar de metro e ônibus, hoje em dia, tem seu charme. É politicamente correto. Esqueça o sonho de ter um carrinho novo, bacaninha. No máximo, tenha uma barca velha. É um estilo inquestionável.

Saúde – Até que dá para usar o sistema de saúde pública em 50% dos casos, pelo menos. Compre remédios pela internet, é muito mais barato. E conheça as farmácias populares, que oferecem medicação a preços ínfimos. Mas o melhor mesmo é não ficar doente.

Viver conectado – Explore o mundo do Wi-Fi. É cada vez mais frequente nos bares, hotéis e outros estabelecimentos. Larga mão desse celular um pouco — só use para mandar mensagens e receber ligações. E leia um livro de vez em quando — garanto que não faz mal para a saúde.

Viagens – Só pense em viajar para lugares onde você tem amigos que possam te hospedar. Compre passagens aéreas com antecedência e parcele — dificilmente você encontra passagens de ônibus em parcelas. Lembre: a condução ao aeroporto é muitas vezes mais cara do que a passagem.

Compras coletivas – Essa mania de comprar cupons pode produzir economia, sim. Mas na maioria das vezes, não. Compra-se por impulso, pelo fato de ser um bom negócio, e não por necessidade. Fala sério: você não tem a menor condição de jantar num restaurante francês, mesmo que pague um pouco menos para fazer isso. Use cupom, sim, mas de maneira planejada.

Aqui você tem o link original (versão menino!). A ilustração dele é com a galera do Chaves.

Nota do Apezinho: Mais SOS Solteiros? Nós temos! Fonte da Juventude, Cultivo Fácil, Vegetais Congelados, Quanta Roupa!

Você também pode gostar de

1 comentário

  • RespondaIONEmaio 26, 2015 at 7:47 pm

    Legal, viu!!!! Bjinhos!

  • Deixe uma resposta