mudar

Sem desperdício

agosto 29, 2014

Desperdício é um assunto vasto, afinal criou-se a falsa impressão de que os recursos são infinitos. Evitar o desperdício, além da economia imediata que fazemos, auxilia a conquista de hábitos mais saudáveis e menos consumistas. A pirâmide da necessidade é perfeita para ilustrar a tendência de repensar nossos hábitos e transformar nosso estilo de vida.

1

O que podemos fazer?

Repensar nossas necessidades  – Dá uma olhada no mapa mental feito no Coggle.

Comprar menos, reaproveitar e reutilizar mais O primeiro passo é nos perguntar se realmente precisamos comprar o produto diante de nós e controlar o impulso de compra. Se ficar em dúvida, não compre, deixe para outra oportunidade. Imagem da Raízes e Folhas.

Será que há algo em casa que possa ser reaproveitado para atender essa demanda?  Idéias neste sentido foram apresentadas nos posts Decoração Sustentável, Reutilize e Recicle já . Abaixo mais algumas sugestões:

montagem
Foto do Blog Cat’s Resumedaqui e  daqui!

Que tal explorar outras possibilidades, como pedir emprestado, alugar ou comprar um produto já usado?

Livros – Buscar em bibliotecas, comprar em sebos, trocar ou pegar emprestado  são algumas alternativas.

Móveis e roupas – há várias opções disponíveis na internet. Os brechós se espalham pela cidade, além de outras alternativas  como a Perpétua, cuja a matéria-prima é roupa usada. A seguir alguns endereços tirados da Veja Rio  e da Time OutBrechó da CrisCatherine LabouréGarimpo CariocaDe Salto Alto e Emporium do Futuro.

Doar ou vender objetos sem uso – Roupas, eletrodomésticos, eletrônicos, brinquedos, livros, remédios etc Isso é necessário? Ainda é utilizado? Está em bom estado? Sim? Que tal doar ou vender para liberar espaço? Para venda, os brechós podem ser uma boa alternativa. Remédios, produtos de higiene, produtos de limpeza, alimentos, caso não venham a ser utilizados, também podem ser doados. É importante que sejam doados antes da data de validade expirar.

Há entidades que recebem doação de remédios, alimentos, produtos de limpeza e higiene, roupas infantis, brinquedos etc como a Sociedade Viva Cazuza, o INCA e o Exército da Salvação. Essas atitudes reduzem o consumo de recursos e a geração de resíduos.

PicMonkey Collage

 

Destacamos ainda dois projetos bem interessantes que tomamos conhecimento pela internet: um recebe lenços em perfeito estado para posterior encaminhamento a mulheres em tratamento do câncer – Banco de Lenços Flávia Flores e o outro – Flor Gentil – prolonga a vida das flores que enfeitam casamentos e outras festas, entregando-as a idosos em casas de repouso. Fotos de Gleice Bueno vieram daqui.

Privilegiar o trabalho manual e a produção local – Sempre que possível, dar preferência à produção local seja em alimentos, roupas etc e ao trabalho artesanal.

Pesquisar e se informar acerca de alternativas mais econômicas e saudáveis – Dar preferência aos produtos biodegradáveis, àqueles menos nocivos e menos poluentes bem como às embalagens recicláveis.

2bcbd2328a16deeb03d9fa96abd82714Produtos de limpeza – Os produtos de limpeza estão cada vez mais especializados e variados (sabão para roupa clara, para roupa escura, multiuso, multiuso limpeza pesada etc), levando a crer que você precisa de um produto diferente para cada ambiente da casa.

Reduzir a variedade de produtos usados na limpeza da casa, utilizar o básico (detergente e sabão em pó/líquido ou em barra) e substituir por produtos com aplicações diversas e mais baratos como vinagre branco de álcool, limão e bicarbonato de sódio.

Lâmpadas – Substituir as lâmpadas incandescentes (menos eficientes) e fluorescentes (mais nocivas à saúde e ao meio ambiente) por lâmpadas LED. Detalhes inclusive como descartá-las por aqui.

Atentar para as quantidades e embalagens – Vale a pena calcular o preço unitário do produto (metro do papel higiênico, litro de suco etc) antes de decidir a sua compra. A calculadora do celular nos ajuda nesta empreitada, visto que os supermercados não costumam informar esse valor. A gente pensa que a embalagem maior ou em oferta será mais barata mas nem sempre isso acontece.

Em casa, manter a embalagem de shampoo, condicionador, creme hidratante, detergente, sabão líquido, sabonete líquido de “cabeça para baixo”, quando estiverem com pouco produto. Algumas embalagens já estão sendo feitas neste formato.

ff4c8730a9c389594fab4ded26110c88Reduzir a quantidade de lixo, reciclar e descartá-lo adequadamente – Jogar sempre o lixo na lixeira (nunca na rua), qualquer coisa jogada fora do local adequado vai parar nos rios ou nos mares, poluindo e causando inundações em caso de chuvas fortes.

Em casa, separar o lixo, acondicioná-lo em sacos de lixo, de preferência biodegradáveis, e descartá-lo corretamente. A Josy Fischberg falou sobre lixo eletrônico aqui. Cobrar das empresas e das autoridades a ampla e efetiva coleta das embalagens (logística reversa). Em Berlim, ao devolver a embalagem pet vazia, por exemplo, temos a restituição do valor pago pela mesma.

Reduzir o gasto de papel – Optar pelo recebimento das contas por e-mail; ler jornais na internet; procurar ler alguns livros (e-books) em tablets; imprimir arquivos somente quando necessário.

Reduzir a quantidade de plásticos – Usar um copo no lugar de copos descartáveis; evitar sacolas plásticas de supermercado, usando um sacola de tecido ou lona; se precisar usar copos ou pratos descartáveis, dar preferência aos de papel.

10Imagem daqui.

Reciclar os resíduos produzidos – papel, papelão, embalagens pet, embalagens tetra pak, alumínio, latas de aço, plástico, vidro.

Para saber mais sobre o tema, dá uma olhada no post Eu reciclo da Daniela Pereira. Há também esse site para encontrar postos de coleta de embalagem tetra pak.

 

Você também pode gostar de

1 comentário

  • Responda Luana Magno fevereiro 10, 2015 at 10:26 am

    Nossa, Bel! Não sabia que você era colaboradora! Que máximo! Adorei saber disso e adorei seu texto! Parabéns!
    Beijoss

  • Deixe uma resposta

    comer

    Sem desperdício

    novembro 25, 2013

    Vimos que é possível reduzir a conta do supermercado trocando os produtos utilizados na limpeza da casa – com vinagre e bicarbonato.

    Reduzir o consumo e, por conseguinte, as despesas no final do mês passa também por não desperdiçar, principalmente, alimentos.

    Segundo o Instituto Akatu, 2004, “…uma casa brasileira desperdiça, em média, 20% dos alimentos que compra semanalmente, o que remete a uma perda de US$ 1 bilhão por ano, ou o suficiente para alimentar 500 mil famílias.” Notícia completa aqui.

    Chocante, né?

    Isso sem falar no impacto ambiental e nas perdas econômicas…

    O vídeo abaixo é bem curtinho e e bem legal! Dá só uma olhada:

     O que podemos fazer a respeito?

    1. Antes de fazer compras, pense no que realmente precisa.

    Se for possível, planeje suas refeições, com antecedência, para saber o que necessitará comprar.

    Verifique o que tem em casa (na geladeira e na despensa). Atenção à data de validade.

    Prepare uma lista de compras, isso é fundamental.

    Precisa de ajuda nessa fase? Dá uma olhada no post da Dani – Lista de Supermercado

    2. O desperdício ocorre em toda a cadeia produtiva, assim, quando compramos diretamente do produtor, reduzimos o desperdício, além de outras vantagens.

    Ao comprar na feira, não há embalagem a ser descartada e você pode comprar a quantidade que precisa, sem contar a qualidade do alimento.

    Para achar a feira de produtos orgânicos mais perto de você, é só clicar aqui

    3.  Ter atenção e cuidado com a conservação dos alimentos, planejando sua utilização na preparação das refeições e aproveitando-os ao máximo.

    A Josy falou sobre quanto tempo duram os alimentos aqui

    Para aproveitar as ervas aromáticas, como salsinha, coentro, manjericão, além de congelar, como mencionei aqui, dá para preparar sal com ervas.

    É fácil: lavar e deixar secar bem. Depois, picar as ervas e misturá-las com sal. As ervas vão desidratar ao longo do tempo.

    Prefiro o sal marinho, que pode ser encontrado nas feiras de produtos orgânicos. Na feirinha, encontro sal marinho fino e grosso. Na internet, conheço a Casa Santa Luzia, em São Paulo.

    Alface, rúcula, agrião etc. 

    Sem desperdícioPara durar um pouco mais, o ideal é lavar as hortaliças, secá-las e guardá-las na geladeira bem fechadas, prontas para serem usadas. Esse procedimento faz com que durem mais tempo e torna a nossa vida mais prática. É como se a salada estivesse pronta: basta montar no prato e temperar!

     Foto: Wikipedia 

     Banana

    bananaAo comprar um cacho de bananas, escolha os que não estão maduros.

    Para evitar que todas as bananas mofem de uma vez, separe-as com uma faca, cortando-as individualmente até o cacho (parte deste permanecerá com a fruta). Cuidado para não se cortar.

    Assim, permanecerão protegidas e se conservarão por mais tempo. Não as deixe em saco plástico.Foto: Wikipedia 

    Morango e outras frutas

    Sem desperdídioDepois de lavadas, você pode bater no liquidificador e congelar a polpa para usar depois em sucos.

    Foto morango – Wikipedia

      

    Sem desperdícioAqui em casa, a gente corta os morangos e os congela sem bater para fazer smoothies 

    Foto e Receita : Allrecipes.com 

    Para 4 copos:

    1 xícara de morangos cortados, 1 xícara de suco de laranja, 1 colher de sopa de açúcar (prefiro: orgânico tipo demerara ou tipo cristal) e 10 cubos de gelo. É só bater no liquidificador e aproveitar.

    Quando faço, dispenso o açúcar. Se precisar adoçar, uso mel.

    4. Quando se fala em aproveitar ao máximo os alimentos, isso inclui o uso de partes das plantas que não usamos habitualmente como cascas, sementes e folhas. A ONG Banco de Alimentos fala sobre Aproveitamento Integral dos Alimentos aqui.

    Sem desperdício5. O uso das sobras de uma refeição para o preparo de outra. As famosas empanadas argentinas surgiram exatamente das sobras. A receita da foto ao lado está aqui.  

    6.  Ao preparar a refeição se sobrar algo que possa ser congelado, faça-o. Embale os alimentos em porções adequadas para o número de moradores da casa.

    Faço isso com pão francês, se não o consumo até o fim do dia, embalo e congelo. Quando preciso, levo-o ao forno por alguns minutos e está pronto.

    7. Pode parecer bobagem, mas o tamanho do prato faz diferença.

    Você viu o vídeo? O tamanho do prato reduzido em 20% evitou o desperdício. Nos restaurantes a quilo, os pratos são muito grandes e a nossa tendência é completá-lo.

    Se você reduzir o tamanho do prato, vai comer menos e caso queira poderá repetir. ;) Serve também para perder peso, a gente come muito mais do que precisa.

    8. Você pode plantar hortaliças e ervas aromáticas. Além de econômica, é uma tarefa divertida. Dicas para horta, demos aqui.

    Se quiser saber mais sobre o assunto:

    Notícia sobre o novo relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) lançado em setembro de 2013 aqui.  

    Você também pode gostar de

    Nenhum comentário

    Deixe uma resposta