manter

Vai fazer uma obra?

julho 1, 2013

Era uma vez o Alberto. Ele já mora sozinho há bastante tempo e conseguiu reservar uma grana pra pintar seu apezinho, comprar alguma marcenaria e finalmente mexer no banheiro, que tinha uma aparência antiga, que o desagradava bastante!

Consciente de que sua missão não seria fácil, Alberto se encheu de coragem e foi a campo procurar pelos profissionais necessários. O trio marceneiro, pintor e mestre de obras (com título de arquiteto) entraria em sua vida durantes alguns looongos meses.

Encurtando a história, você já pode imaginar, né? A experiência seria cômica se não fosse trágica! O Alberto teve tanto, mas tanto problema, que nos ajudou a criar uma lista de dicas que deveria ser impressa em todas as lojas de tintas, material de construção, móveis…  Enfim, somos tão ingênuos quando entramos nessas situações que qualquer luz é muito bem-vinda!

Vamos à lista!

  1. Simpatia não é competência – brasileiro (em especial o carioca) tem uma relação de amor com quem abre um sorrisão, dá um abraço e diz que tudo dará certo. Parece que somos abduzidos e acreditamos na criatura piamente! É muito bom ter gente alegre e gentil trabalhando na sua casa, mas esse comportamento não é indicativo de uma parede bem pintada!

  1. Conhecido de conhecido não é referência – Não, não, não! Repita com a gente! Porque se der alguma coisa errada você não terá coragem de tirar satisfação com o conhecido do seu conhecido. Aliás, ele nem sabe que virou referência!

  1. O barato pode sair caro! – Você tem dois orçamentos: um de dez e um de três. Corre pro de três achando que é a pessoa mais esperta do mundo.  Na grande maioria das vezes não é. E ainda tem que aturar a cara de gozação da namorada quando tenta argumentar que sabia que o serviço seria mais fraquinho mesmo! Sei…

  1. Coloque no papel o cronograma – Não, um desenho à caneta em um pedaço de papel não é planejamento. Não, não espere que ele vá transformar esse desenho em alguma coisa mais consistente. Cronograma é mais que isso!

  1. O prazo dado nunca será o real – Pode colocar mais semanas na sua ansiedade. E ficar em cima, porque pra quebrar é rápido, mas pra fechar…

  1. Explique tudo nos mínimos detalhes – Se eles balançarem a cabeça em silêncio, desconfie. As surpresas são inúmeras. Quadros pendurados quase rentes ao teto. Armários de banheiro que eram pra ter rodinhas e foram presos na parede. Uma esculhambação absoluta!

  1. Acompanhe!! Ou peça pra alguém acompanhar – Porque sem supervisão a coisa pode tomar rumos inimagináveis. Ou rumo nenhum…

  1. Não relaxe nos finalmentes – Eles são os mais importantes e sem pressão não andam! E, se você não ficar por perto, a tinta respingada no chão ficará, o acabamento da parede não rolará, os arranhões nas portas ficarão para a próxima obra!

  1. Tenha um plano B – Porque o profissional pode sumir! Alguns nem pegam o restante do dinheiro dependendo do estrago feito. Atender celular, então, esquece. Aliás, anotar o telefone de casa é uma boa estratégia. Esposas podem ser boas aliadas!

  1. Reservamos este item para as obras que dão certo! Elas existem! Considere essa pessoa “da família”! Não desgrude dela jamais, porque vai precisar de seus serviços no futuro. Mas não a deixe muito envaidecida porque seu preço pode subir tanto que a próxima vez pode não existir!

Pra fechar!

O Alberto mora sozinho e não tem tempo. Por isso optou por comprar pela internet. Utilizou a C&C e a Amoedo. Tudo correu bem. Mas o prazo de entrega leva, em média, sete dias úteis. Coloque esse prazo no planejamento.

C&C – http://www.cec.com.br/

Amoedo – http://www.amoedo.com.br/

Último recado!

Nem tudo está perdido. Se você procurar por cortinas e persianas a um preço bom e serviço correto, leia nosso próximo post!

Você também pode gostar de

16 Comentários

  • RespondaCrisjulho 2, 2013 at 4:27 pm

    Ótimo post!!! dei boas risadas…e é o que realmente acontece!
    E concordo em absoluto, cronograma não é um mero pedaço de papel, é complexo…e se você planeja 4 semana dobra que sempre é certo!!!
    Bjs Dani

    • Apezinho
      RespondaApezinhojulho 3, 2013 at 12:16 am

      Oi Cris

      É cômico, ne? A mais pura verdade! Também nos divertimos muito escrevendo o post, que bom que você gostou!

      Beijos da Equipe Apezinho!

  • RespondaLéliajulho 8, 2013 at 10:08 am

    Boas dicas, Daniela !

    • Apezinho
      RespondaApezinhojulho 8, 2013 at 10:43 pm

      Obrigada, Lélia!

      Beijos da equipe Apezinho pra você!

  • RespondaLilianjulho 8, 2013 at 1:11 pm

    Amei as dicas e também dei boas gargalhadas!
    Vou começar reforma em casa e descobri que estou em pânico!!!KKK

    • Apezinho
      RespondaApezinhojulho 8, 2013 at 10:44 pm

      Lilian, boa sorte! Todos precisamos nessa hora!

      Depois conta pra gente se deu certo, ok?

      Beijos!!

  • RespondaJanetejulho 9, 2013 at 6:53 pm

    Xi, só agora encontrei vocês! Sabe, contratei um colega de trabalho que em suas férias vai fazer uma cobertura na garagem & área de serviço. Começa amanhã, que medinho…

    • Apezinho
      RespondaApezinhojulho 15, 2013 at 10:22 pm

      Janete!! Boa sorte, conta pra gente depois!

      Beijos da galera do Apezinho!

  • RespondaMarcos Craveirojulho 22, 2013 at 11:34 pm

    Bom post. Acreditem no que foi dito quanto a prazos – jamais são o prometido… e o acréscimo de prazo nas contas não deve ser econômico…

    Desconfiem um tanto das dicas do zelador. Muitas vezes ganham um troco de alguns “bocas-de-porco” pra indicarem seus serviços (aqui nos prédios das redondezas é bem comum essa encrenca)… não é regra, mas é bom não ir cegamente nessa..

    Uma dica aos que gostam ou precisam mexer muito no apto:

    se vc acabou de se mudar (ou mesmo se mora já há algum tempo no edifício), talvez seja uma boa ideia obter uma cópia da planta do seu apto e guardá-la consigo (ofereça deixar um documento se necessário pra comprovar que vc devolverá a matriz, ou tente pedir para o proprietário da planta fazer a cópia para vc, ressarcindo-o dos custos).

    Em alguns prédios antigos praticamente ninguém tem estas plantas, às vezes um morador mais cuidadoso ou mesmo um síndico mais esperto a possuem e olha lá.
    Conseguir uma cópia disso não soluciona seus problemas por completo, mas pode lhe ajudar bastante indicando o que é coluna, onde estão os encanamentos que são em comum do prédio (esgoto por ex.) e o que pertence ao seu apto (água e conduítes da parte elétrica). No meu prédio que foi construído em 1970 sou o único que possui a planta do apto (padrão em todos do prédio) e várias vezes me procuraram (graças ao zelador que sempre “me entrega” ahaha) e por conta disso, muitas dores de cabeça já foram evitadas… claro que algumas vezes só me procuraram depois da desgraça feita, é o caso do antigo vizinho logo acima de mim que resolveu instalar um novo espelho grande no banheiro e não sabia onde passava um encanamento de água fria, e óbvio que acertar os 6 números da mega-sena ele não acerta, mas o EXATO LOCAL DO CANO ele acertou em cheio !

    Resultado: vazou até ao apto de baixo (o MEU!) e estragou a pintura do teto e parede do quarto grudado ao banheiro…

    Hoje em dia, a síndica atual (finalmente uma pessoa mais organizada e de bom senso) fez uma cópia para deixar nos arquivos do prédio que pode ser consultada por qualquer um (sim, agora temos uma administração com arquivo, etc, ao contrário de antes quando era mais parecido com uma cozinha de república de faculdade.)

    abs

    • Apezinho
      RespondaApezinhojulho 23, 2013 at 5:45 pm

      Caramba, Marcos!!

      Isso dá um post novo!!

      Ri muito!! Porque só rindo, ne?

      Beijos!

  • RespondaPaula Reginajulho 30, 2013 at 12:54 pm

    Daniela, como eu queria ter lido essa crônica uns 4 meses atrás huahauahaaaaa!
    Nem foi pelo preço que escolhi a empresa Empreiteira que fez a caca fedorenta aqui na minha cozinha, foi porque caí em vários papos idiotas antes e em uma indicação de “Profissional” – que afirmou pegar a reforma aqui, mandou que eu comprasse piso e revestimento correndo (porque seria o básico e deveriam ter a mesma fornada) e… “divinha”? nem apareceu depois.
    Contratei essa empreiteira por desespero de ser a única com disponibilidade imediata (devia ter desconfiado mais ainda).
    Fiquei em casa administrando tudo; meu marido trocou horário de trabalho para poder dar suporte até ao meio-dia; explicamos tudo umas trocentas vezes; até chamamos amigo Engenheiro Civil (que ficou mais desesperado com a situação que a gente) para fazer cronograma e mesmo assim, o Empreiteiro fez uma caca atrás da outra.
    Nem subir parede de bloco de vidro o talzinho sabia. Precisei do YouTube para ensiná-lo como colocar bloco de vidro na janela. Até aula para pedreiro eu dei! E nem assim ele admitia ser ignorante e inoperante para obras de vulto.
    O tal do “phyno acabamento” que ele tanto apregoava ter é torto, sem esmero e meu piso todo manchado de rejunte, massa Iberê, cola e silicone. Horror puro =oO de sair correndo, sentar e chorar copiosamente pela cara de pau de uma pessoa fazer isso com uma outra (e ainda receber para tal =o#).
    Pior foi ouvir do Marceneiro, do Porteiro, do cara do gás (para religarem fogão), da empresa da máquina de lavar (religar a máquina) na NET e do Eletricista (adivinha? religar a energia que foi explodida pelos pedreiros da tal Empreiteira) que a cozinha estava com acabamento de *melda*, a coisa mais feia que já tiveram ciência.
    Muito triste é saber que ele deve estar ferrando tantas obras pelo Rio de Janeiro e fazendo pouco caso com o imóvel alheio.
    Dica? Pesquisem muito e peçam referências, fotos, telefones. Peçam conta nominal com endereço residencial e, se possível, chequem até alguma ocorrência ou pendencia Judicial. Investiguem e não coloquem qualquer um dentro de seu imóvel.
    abraços.

    • Apezinho
      RespondaApezinhojulho 30, 2013 at 2:48 pm

      Paula

      Devíamos criar um movimento civil em nossa defesa, não é?

      Caramba! Estou pra ver uma história de obra com final feliz.

      O que nos salva é o humor e a solidariedade que recebemos ao compartilhar nossos dramas!

      Beijos!

      • RespondaPaula Reginaagosto 2, 2013 at 1:52 pm

        Daniela, assino onde para criarmos o tal movimento?
        Minha sorte,se posso falar tal palavra, é que meu bom humor ainda dá conta do recado; senão…
        Li no jornal O GLOBO dessa quinta, dia 1o de agosto, na coluna da Cora Rónai (sugiro leitura) o desabafo dela sobre obras e percebi, nitidamente, que o “problema” esta em não haver profissionais gabaritados e comprometidos com responsabilidade em execução de obras. É mais fácil achar um fóssil de Pterodátilo no quintal que um Empreiteiro comprometido.
        E não acreditem em quem diz ter soluções para suas obras porque são os piores!
        beijos mais.

        • Apezinho
          RespondaApezinhoagosto 2, 2013 at 2:35 pm

          Paula, ótima dica!

          Tão boa que pedi autorização pra Cora pra ver se podemos colocar o texto em nossa página do Face!

          Obrigada, companheira, estamos juntas nessa luta!

          Beijos!

  • RespondaAmbressaoutubro 4, 2013 at 11:09 pm

    Quem já passou por obra tem história pra contar.
    No meu caso, deixei o pedreiro sozinho por um dia, e quando cheguei… ele tinha decidido fazer uma arte que não pedi, gastando um material destinado a outra área me fazendo comprar de novo. A melhor parte: a arte fica atrás do tanque e da máquina de lavar. Só o pedreiro e eu sabemos o que está ali! (é o nosso segredinho)

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereiraoutubro 14, 2013 at 10:08 pm

      Ahahahahahah, ai meu Deus, e a arte deve ter sido cara, ne?

      Ainda bem que essas coisas acontecem com mais de uma pessoa, porque parece mentira.

      Beijos!

    Deixe uma resposta