manter

Lixo zero

outubro 15, 2014

Vira e mexe a gente traduz “livremente” um post da Houzz, um de nossos portais preferidos. Ele fala sobre arquitetura, design de interiores e decoração, paisagismo e manutenção da casa. Além do site, ele possui apps, recomenda produtos e possui um fórum de discussão ativo. O projeto nasceu em 2009 e está sediado em Palo Alto, Califórnia (a terra dos empreendedores!). Tem uma página na Wikipedia que conta tudinho sobre o portal, dá uma olhada.

Esses são os posts que já traduzidos, todos ótimos! Dever de casa,  Quarto limpo: atacar!, Seja um bom vizinho e Missão possível.

Nesse texto você vai aprender dicas de como reduzir seu lixo a bem bem pouquinho, boa leitura!

***

407979_322174081138112_188318146_nQuando Bea Johnson se mudou para uma casa, com a metade do tamanho da anterior, ela definiu que o lixo que sua família iria produzir, a partir daquele momento, tinha que beirar o zero. Ela queria morar em uma casa fácil de viver e manter. O novo processo deu tão certo que ela escreveu um livro chamado: Zero Waste Home (que também possui perfis no Facebook, Instagram, blog).

Esse esforço de redução parece impossível para a maioria de nós, né? Pois a nossa amiga fez isso de propósito, ela precisava definir uma meta bem alta a ser alcançada pela sua família. E conseguiu! Reduza a quantidade de lixo e aumente a sua qualidade de vida com estas ideias! 

Comprar alimentos a granel – Pense em todos os alimentos embalados e seus recipientes plásticos não-recicláveis. Sacos, copos, pacotes e bandejas. Cada um deles é feito de produtos químicos que param, inevitavelmente, em um aterro sanitário. A filosofia da Bea defende cozinhar em casa e comer mais frutas e vegetais frescos. Escolher alimentos a granel em pacotes menores corta a sua exposição a conservantes, sais, corantes artificiais e açúcar processado. Menos lixo para o mundo e para o seu corpo!

555024_534663683222483_546572931_nCriar menos superfícies para lixo – Bea reduziu a quantidade de móveis e minimizou superfícies horizontais, “estacionamento” de poeira e lixo. “As pessoas sempre dizem que minha casa parece sempre tão limpa, mas não é porque eu sou uma maníaca”, diz ela. “Eu só a limpo uma vez por semana. Ela só parece mais limpa, porque nós eliminamos a desordem.” Quanto mais móveis e coleções, mais superfícies a limpar. Faz sentido!

Esse é o quarto dela!

 

 

Simplifique materiais de limpeza – Johnson faz produtos de limpeza com um pequeno número de ingredientes a granel para eliminar sprays, garrafas de plástico descartáveis ​​e outros materiais não-reciclável ou não reutilizável.

“Eu não tenho que ler os rótulos para determinar qual o produto de limpeza é tóxico e qual é mais seguro”, diz Bea. Quase todos são! Ela simplificou sua rotina de limpeza, tornando-a mais fácil e espaçada.

Observação! O Apezinho é fera em limpeza sustentável, aproveite os posts!

734897_534663363222515_108750456_nCompre produtos de higiene corporal também a granel – Tal como acontece com produtos de limpeza, comprar produtos de beleza pode nos deixar absolutamente confusos. Felizmente, já há marcas de cosméticos que vendem os seus produtos a granel em lojas de alimentos saudáveis​​, eliminando assim as embalagens de plástico. Estes produtos são feitos (muitas vezes) a partir de ingredientes simples, por isso, você pode até experimentar criar a sua própria solução!

O banheiro dela é tão branco!

 

Gaste menos combustível – Bea reduziu muito o uso dos carros da casa (lembra que americano sempre tem mais de um!). Ela concentrou todos os compromissos onde ele ainda é imprescindível a um dia na semana. Uma outra ideia defendida é o compartilhamento de veículos, mais comuns nas grandes cidades. Todas estas ações combinadas reduzem o consumo de combustível e tiram mais carros das ruas. Ah, ela é adepta da bicicleta!

b85b476471b84019d2a1a8cf7d24ea5f

Escolha fibras naturais nas roupas de cama e de uso doméstico. Através da compra de fibras naturais como algodão, lã, cânhamo e bambu, os Johnsons garantem que seus tecidos podem, eventualmente, voltar para a terra.

 

Nota do Apezinho: quer ler o post original? É esse aqui.

Você também pode gostar de

Nenhum comentário

Deixe uma resposta