contar

A sala da Thati

janeiro 15, 2018

A Thati é amiga de longa data do Apezinho. A gente ama a forma como ela montou o seu cantinho em São Paulo. Carioca porreta, tricolor das Laranjeiras, mãe de um menino lindo e muito amigo. Agora, casada. Com direito a gato, cachorro, enteada, casinha e muito amor. Vem conhecer a sala dela. A gente adorou muito! Original e divertida, tal qual a sua dona. <3

***

Em 2013 deixei o Rio, onde morava com a minha mãe, para morar em São Paulo. Pela primeira vez teria uma casa só minha. O apezinho que escolhi, no bairro de Pinheiros, estava sempre em mutação. A sensação de decorar do meu jeito, com coisas escolhidas por mim, era tão excitante que eu não conseguia interromper o processo de comprar coisas novas e, meses depois, substituí-las por outras coisas novas. Entre os poucos itens que ficaram incólumes a minha compulsão estavam 3 pôsteres de cinema que comprei (por um valor baixíssimo) em um site americano.

Resistiram tanto que sobreviveram a mais radical mudança que escolhi fazer desde que cheguei aqui: juntar os meus pôsteres, luminárias e móveis com o meu namorado, o Sérgio. Há 1 ano troquei o apezinho por uma casa e ganhei uma cadela, duas gatas e uma enteada. E foram os pôsteres (um de Lolita, um de Scarface e um de A Primeira Noite de um Homem) os primeiros acessórios da parede da nossa sala, o cômodo da casa que eu mais gosto.

A nova fase trouxe menos inquietação e já não sinto necessidade de mudar tanta coisa. A mesinha de TV e a estante, ambas de madeira de demolição, eu comprei quando ainda morava no Rio e são de estimação (além de lindas). Por isso decidimos ficar com elas. Na mesinha o Cristo redentor de papel me lembra de onde vim. Na estante, a nossa coleção de garrafa de cervejas (que também são usadas como vasinhos de flores).

Do apezinho antigo também ficamos com a mesa de jantar, que é pequena, mas suficiente. O sofá, que era preto, foi trocado por um cinza. O motivo: o novo é mais resistente aos pelos dos bichos. Para quebrar a monotonia da cor, uma manta coloridíssima que trouxemos de uma viagem ao México. De lá também vieram um painel de papel com figuras indígenas e o tapete amarelo feito em tear.

Amarelo também é a cor do primeiro móvel que eu e o Sérgio compramos juntos: uma graça de aparador. Acima dele, na parede, colocamos quadrinhos de propagandas das décadas de 40 e 50 tiradas de revistas que encontramos na feirinha de antiguidades do Bixiga. Em cima dele, flores (não podem faltar), e um retrato lindo da minha tia-avó vestida para a festa de 15 anos dela.

Acho que a nossa sala tem a nossa cara porque não tem monotonia: a decoração é uma mistura dos gostos de cada um. A nossa sala é a prova de que é possível conviver com diferenças de forma bela, leve e harmônica. Acredito que essa lógica valha para decoração e para todo o resto.

Você também pode gostar de

4 Comentários

  • RespondaDanielajaneiro 20, 2018 at 5:44 pm

    Muito bom. Os quadros fizeram um diferencial lindo também. Obrigado por compartilhar!

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereirafevereiro 1, 2018 at 1:08 pm

      Concordamos com você, Dani. Eles são muito charmosos! :) Beijos das Pereiras.

  • RespondaMariana Souzajaneiro 28, 2018 at 11:24 pm

    Eu achei sensacional..Muito fofo ..

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereirafevereiro 1, 2018 at 1:07 pm

      Sim!! Uma delícia de cantinho. <3 Beijos, Mariana!

    Deixe uma resposta