contar

O valor do nosso tempo

dezembro 20, 2017

A Fernanda é leitora querida e nos sugeriu essa pauta ótima sobre o tempo. O que faremos com o nosso em 2018?

***

2016 foi pra mim um ano em que me vi envolvida com inúmeras tarefas chatas, e com muito pouco tempo pra mim ou para as coisas de que gosto. Essa constatação me fez querer mudar alguns hábitos, desapegar, mudar, evoluir e descobrir coisas novas. Me dei conta do quão valioso é nosso tempo, e que eu queria muito ter mais tempo pra mim, nem que fosse pra praticar o “nadismo”. Há quem diga “time is Money”, mas na minha modesta opinião, acho que o nosso tempo vale bem mais do que dinheiro. Por isso, parei para pensar naquilo que me dava prazer e que me fazia falta, e também naquilo que consumia boa parte do meu tempo e que não me realizava.

Então, tomei algumas resoluções para o ano de 2017. E vocês devem estar se perguntando: “porque escrever sobre isso em dezembro?” Na verdade, com esse ano terminando, pude perceber o quanto colocar em prática essas pequenas mudanças me fez um bem danado. E com 2018 chegando, quero evoluir ainda mais na arte de arranjar tempo livre em tempos de correria insana. Bom, vamos a elas:

Decidi que cozinharia somente quando me desse vontade. Por questão de grana, no ano de 2016, levei muita marmita de casa. Mas o tempo que eu gastava pesquisando preço, comprando, cozinhando, e depois limpando tudo, me fez refletir se essa realmente era a melhor alternativa. Além disso, passar o domingo todo nessa função não era lá muito prazeroso.

Outra coisa que decidi (depois de ler o livro da Marie Kondo e de assistir ao documentário “Minimalism”), foi que, de fato, eu tinha muitas coisas que não usava, que só ocupavam espaço em casa e que também consumiam a minha energia pelo simples fato de estarem ali sem uso. Então, muitas sacolas e caixas foram para a doação. E o melhor de tudo, evolui tanto nesse quesito que consegui doar vários livros que eu já tinha lido, mas ficava com pena de me desfazer deles. Sempre tive bastante dificuldade para me desfazer dos meus livros. Fazer esse trabalho de desapego pode parecer pouca coisa, mas olhar o meu roupeiro desafogado e a minha casa mais organizada e limpa foi muito bom!

Outra resolução que tomei (pasmem!), foi que não perderia mais tempo tirando cutícula e também que pintaria bem menos as unhas. Além de fazer mal (me disseram), seguido eu me machucava, por fazer as unhas com pressa. Além disso, o esmalte só ficava realmente bonito nos dois primeiros dias, depois, começava a descascar. Portanto, desencanei!

Agora vem uma resolução que tomei com o meu então namorado (agora, marido!): fomos morar juntos pra acabar com aquela função de andar pra cima e pra baixo de mochila nas costas. Além de perdermos bastante tempo com isso, era bastante caro manter dois apartamentos, dois carros etc. Além disso, já estávamos sentindo a necessidade de unir as esco
vas de dente. A mudança nos trouxe economia, paz e nos deixou com mais tempo pra curtirmos a vida.

A decisão que eu mais demorei para concretizar foi a de sair das redes sociais. A verdade é que não postava nada há algum tempo e, toda vez que entrava e lia aquele monte de besteira, futilidade e opiniões radicais, isso me deixava estressada e com pouca fé na humanidade. Então, desconectei geral! Ufa! Não me faz a menor falta.

A última decisão tomada (não me julguem, please!), decidi não fazer aquele “faxinão” na casa toda a semana. Eu e o Lucas passamos a maior parte do tempo trabalhando, então, não fazia sentido se estressar tanto assim com limpeza. Agora é assim, faxinão quinzenal, e na outra semana, só uma “varridinha” já está bom. Sem neura!

Bom, e agora que eu estou mais livre, o que eu faço com o meu precioso tempo:
tenho mais tempo para ler, assistir alguma coisa no Netflix,
passear com os cachorros,
curtir a família e os amigos,
também arranjei tempo para fazer tai chi chuan e pra nadar,
voltei pra terapia, e o mais importante de tudo, tenho tempo para mim mesma, para ficar deitada na minha rede observando os meus cachorros brincarem, para refletir sobre a vida, pra escrever este texto.

E esse tempo, eu digo com toda a certeza, é muito mais valioso do que dinheiro!

Você também pode gostar de

4 Comentários

  • RespondaAlinedezembro 21, 2017 at 9:12 am

    Adorei suas resolucoes!
    Fim de ano é o melhor momento pra revirar tudo, a energia coletiva toda pede por isso, né? Eu ataquei a casa toda, doei muita coisa e joguei muita coisa fora. Muitos objetos que guardava por culpa, que só drenavam energia. Aqui não consigo exatamente parar de limpar a casa por que tenho dois gatos e um cachorro, mas desencanei de deixar a casa “perfeita”. Percebi que meia hora depois ela já tava avacalhada de novo, rs.
    Sobre o esmalte, também não tiro cutícula não, e a dica que dou é comprar um bom top coach, que vai durar uma vida!
    Bjs ;*

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereirajaneiro 3, 2018 at 7:26 pm

      Oi Aline, que bom que você curtiu! Nós adoramos tb. E nos fez pensar e mexer em bastante coisa em casa. 2018 sem tralhas é a missão. Vamos conseguir! :) Beijos.

  • RespondaAninhajaneiro 10, 2018 at 12:42 pm

    Também gostei muito do post. Algumas resoluções que ela disse, por acaso também já faziam parte da minha vida. Por ex. não tenho mais redes sociais e não me faz falta, faço a unha quando é possível, se não quero porque quero fazer outra coisa, tudo bem, e se der vontade, faço enquanto vejo algum programa. Quanto à limpeza na casa, já estou melhorando, agora consigo ficar uns três dias sem limpar, mais do que isso não justamente pra não acumular e ter que fazer o faxinão. Comida ainda faço e é engraçado que moro sozinha kkk, então não deveria me cobrar tanto hahaha, mas não consegui desapegar e comer fora, gosto da minha comida mais simples. Mas aí já deixo verduras, legumes lavados, carne separada em porções, essas coisas que adiantam a vida. Tudo isso pra ter tempo, tempo pra ler, ver um filme, ficar com a família a toa, ir na casa da mamãe que é até perto, mas não ter hora pra voltar, enfim, concordo que há coisas mais importantes que dinheiro. Tendo o suficiente pra viver e guardar para o futuro (viagens, reforma, troca de carro, etc), pra mim estou feliz. O que preciso agora é desapegar de roupas que não me servem mais, aff… dou aula de minimalismo em algumas coisas e peco pecados grandes outras kkk. É isso aí, adoro esse blog.

    • Daniela Pereira
      RespondaDaniela Pereirajaneiro 13, 2018 at 4:40 pm

      <3 Obrigada pelo seu depoimento, Aninha!! Volte sempre, vamos adorar!

    Deixe uma resposta