contar

O ninho da Aline

janeiro 31, 2018

Me mudei para o meu ninho em março de 2017. Minha intenção era ter uma casa com a minha cara, independente de ser considerada brega ou não. Eu queria me sentir feliz dentro dela e que este sentimento fosse captado por quem estivesse comigo.

O resultado é uma mistura de coisas que amo, simples, coloridas e com lembranças dos meus caminhos. No espaço de jantar a ideia era ter um canto que lembrasse um boteco. A parede amarela é vibração pura. Fica linda com a luz da manhã. Comprei uma mesa de madeira, com a cor vermelha, que pode ser aberta para seis pessoas. Na parede tem fotos que fiz em viagens. Cada uma carrega uma história, que pode ser contada ao convidado durante o almoço ou a janta.

As garrafas com flores foram pintadas por uma amiga (@mililetras) com frases dos meus autores favoritos.

O sofá cinza é cama também, pensando nas visitas. Coloquei almofadas coloridas e uma capa trazida de Maceió. A parede cor elefante (pensada exatamente assim para ter vida própria no colorido dos restos) ganhou quadrinhos baratinhos com mensagens/fotos/alguns ainda vazios à espera do que virá.

O rack foi feito do armário aéreo da antiga cozinha. Ele é de madeira e seria jogado no lixo. Pintei de branco por dentro, tirei uma das portas e o encapei com papel contact. Coloquei perninhas que deram o toque final.

Derrubei a parede que separava um dos quartos da sala e fiz um escritório.

A mesa de trabalho eu fiz com a antiga porta do quarto. A encapei com contact tbm e a coloquei sobre cavaletes. No aniversário mais recente, ganhei da minha sobrinha de cinco anos um globo que é uma luminária. Ela sabe que gosto de viajar e disse que estava me dando o mundo de presente 💙

No escritório também tem espaço para a rede, quando não estou trabalhando, e até para a sombrinha amarela (sim, sou fã da antiga série How I Met Yor Mother ☺️). Os livros estão no chão, por enquanto. Mas gostei tanto deles assim, fico modificando as pilhas, separando por temas, que não pensei em colocar numa estante. Talvez, eu mesma faça uma na parede.

A cozinha está quase toda original, mas ainda estou montando, assim como o meu quarto. Tudo aos poucos, pensando na mensagem que cada cômodo quer passar.

Se quiserem conferir a tentativa de quem não conhece nada de decora, mas quer passar boa energia aos visitantes, é só conferir na tag #ensaiosobreomeuninho 😉

Você também pode gostar de

Nenhum comentário

Deixe uma resposta