contar

O Castelo de Martín

agosto 11, 2017

Temos vários amigas-mamães e amigos-papais tendo recebido seus bebês recentemente ou os esperando ansiosamente pelos próximos meses. Para comemorar o Dia dos Pais convidamos o Juan, querido companheiro de trabalho da Dani, pra contar sobre a chegada de Martín. O texto é lindo, nos emocionou bastante. Que sorte tem esse neném.

Um viva pro Juan e pra Julia. E pra todos que vivem a emoção de ter pequenos e grandes pimpolhos em suas vidas.

<3 <3 <3

Quando a gente chegou em São Paulo o objetivo era claro. Um bairro perto do trabalho, perto do parque, perto do aeroporto e sem ladeiras pronunciadas. Sobre o apartamento: arejado, com muita luz natural e três quartos. Sim, três quartos. “Mas para que três quartos se vocês são só dois?” Um pra gente, outro pros visitantes e outro pro nosso projeto de pimpolho, que naquele momento já chamávamos de Feijuca.

Começamos chamando-o de Feijão. Porque a gente o imaginava pretinho. Moreninho. Depois evoluímos pra Feijuca. Segundo a gente, porque Feijão era masculino e precisávamos de um apelido que admitisse o feminino. Brincadeiras nossas. Uma simples brincadeira esporádica. Assim começou para mim a aventura da paternidade.

Tudo uma brincadeira. Até o Réveillon deste ano. Justo quando o ano virou, Julia falou baixinho no meu ouvido, “Parabéns Papai”. Juro que não entendi. Fiquei meio desnorteado. Enquanto tudo mundo pulava para comemorar a chegado no ano novo, eu levitava pela alegria da chegada de nosso Feijuca.

Voltamos e começamos a arrumar o apartamento. Finalmente, aquele terceiro quarto, que tinha se convertido em meu escritório, virou quarto de hóspedes. E o quarto de hóspedes ficou pro Feijuca. Parafraseando o Toquinho, eu achei que “com cinco ou seis retas seria fácil fazer aquele castelo”. Mas não foi tão fácil assim. A ciência de ser pai, é um ato de paiciência. Mesmo quando a criança está na barriga.

A mãe queria umas cores e, eu, para evitar qualquer tipo de atrito, me prontificava e/ou me abstraía, dependendo do tema em questão. Batemos o martelo quando ela falou que o quarto seria em tons de cinza, amarelo e Chevron. Naquele momento já sabíamos que Feijuca se chamaria Martín e que seria paulista, meu.

Arrumar e decorar o quarto foi tudo obra dela. Tudo ela fez. Projetou e executou. Só terceirizou o trabalho que demandava muito esforço físico. Agora só falta uma coisinha: o Martín chegar. Está previsto para primeira semana de setembro. Portanto, não estará aqui neste dia dos pais. Mesmo assim, já está me homenageando. Os estendidos dizem que parece comigo. :)

Desde já obrigado, filho.
Pode vir.
Seu castelo está pronto e estamos te esperando.
Estamos esperando você vir mudar para sempre nossa vida.

Você também pode gostar de

2 Comentários

  • Responda Julia agosto 11, 2017 at 8:33 pm

    Eu sou só lágrimas e muito amor! Que surpresa linda!!! Obrigada, minha vida! Obrigada, Dani, pelo carinho!! Martín te espera aqui em São Paulo para uma visita a esse castelo em que cabem todos os amigos queridos! Beijo enorme

    • Daniela Pereira
      Responda Daniela Pereira agosto 14, 2017 at 3:32 pm

      Uma chuva de beijos e muita luz em vocês. Muito feliz por poder proporcionar esse momento-amor de nosso Juan para você e o pequeno Martín. <3 <3 <3

    Deixe uma resposta