SAULO FRAUCHES Colaboradores

Saí da casa dos meus pais para começar a faculdade, morar em outra cidade e, longe das asas deles, ter que cuidar do meu próprio apartamento. A mudança foi rápida e as lambanças foram inevitáveis – a fome nos leva a aprender a cozinhar e a fazer compras no mercado mais rápido do que você imagina.

Percebi que adoro dividir apartamento com amigos. Em muitos casos, desconhecidos que se tornaram parceiros com o passar do tempo. Saber dividir espaço e respeitar as excentricidades alheias não é uma dificuldade hercúlea para mim; e os bônus de lidar com outras formas de encarar e resolver bobagens da vida cotidiana mais que compensam qualquer desgaste. Sempre tirei alguma coisa de legal de cada convivência. Morando com a quinta pessoa diferente (e contando!), dá para dizer que fiquei cascudo nesta seara de apês divididos. E quero trocar experiências também aqui no Apezinho.