buscar

Minha Laranjeiras

setembro 4, 2013

A Gisela escreveu um post tão apaixonado sobre e para Laranjeiras, que fica difícil não querer se mudar pro bairro agora! Pra quem está procurando seu primeiro apezinho, fica o depoimento encantador. Pra quem já achou o seu lugar do coração, fica o convite para nos contar a razão de tanto amor!

Conta pra gente, Gisa!

“Quando eu era adolescente, reclamava à beça de Laranjeiras. Poxa, só tinha uma linha de ônibus para ir à Praia de Ipanema. E o 584 era expert em demorar uns 40 minutos pra passar no ponto!  Aos sábados, então…O tempo corria e meu nariz torcido crescia, crescia…

Sem falar na vida noturna…Nos meus 15 anos, a São Salvador era conhecida como “aquela praça deserta e perigosa”…Noite, não havia. E lá ia eu novamente depender do 584 pra pedir um guaraná com porção de batata frita no Caneco 70, antigo bar no Leblon – o vizinho chique da minha amada Ipanema.

Até que um dia eu cresci, mudei e…escolhi Ipanema para morar. Ah, finalmente, Ipanema! O namoro foi muito bom, não vou negar; fui muito feliz naquele ano. Adeus 584, adeus engarrafamento para ir à praia, que, finalmente, estava a duas, DUAS, quadras de mim!

Só acho que nunca fui tão pouco à praia quanto na época em que morei em Ipanema. Faltava alguma coisa.

Não sei explicar.

LargodoMachadoNão sei se faltava cumprimentar o cara da farmácia q meu deu a injeção salvadora no delírio de uma febre de 40 graus…Ou pegar um metrô e estar em cinco minutos no centro da cidade (eu já fiz as contas, a partir da estação!)…Ou caminhar pelas palmeiras imperiais da rua mais linda do Rio (até um trecho, a Paissandu é coisa de Laranjeiras!), apreciando a antiga arquitetura das casinhas…Ou comer a melhor esfiha do mundo – já experimentei muitas por aí! – na Galeria Condor, no Largo do Machado…Ou ir ao Cine São Luiz (agora, reformado, está um espetáculo!)…Ou pagar metade do preço que você paga por uma manicure em Ipanema….Ou encontrar as velhas caras conhecidas na calçada do boteco Céu na Guanabara…Ou não ter que pegar bus, táxi, trânsito ou sei lá o que – e acordar ainda mais cedo – para ir aos melhores blocos de Carnaval do Rio…Porque eles estão em Laranjeiras e redondezas! E quem duvida disso bom sujeito não é.

Não sei explicar. Mas decidi voltar, voltar para ficar! E descobri tanta coisa nova. Da adolescência pra cá, a vida noturna cresceu, ganhou botequinhos com personalidade, casas de vinho de respeito… Tem a Praça São Salvador cheia de vida todo dia e com preços para todos os gostos. Nas noites de segunda-feira, quem passa por lá pode ver um ‘show’ de malabares entre as crianças que brincam ao ar livre. Tem um lugar de que gosto bastante, a Moviola, um misto de locadora (sim, eu ainda alugo filmes), livraria, café e cervejaria ‘grifada’ na Rua das Laranjeiras…Curto o clima. Tem a Casa Rosa, à noite, pra quem tem pique.

SãoSalvadorTem o respiro do Parque Guinle para quem quiser caminhar no verde e subir a ladeira para apreciar algumas obras de Lúcio Costa. Tem a beleza das Casas Casadas. Tem a feira da rua General Glicério aos sábados. Tem verde, tem mato, tem morro! Tem a quadra do Cardosão e o boteco sempre a postos, no alto da rua Cardoso Júnior. Aqueles moradores vivem em casinhas lindas de Lumiar, mas em plena Laranjeiras! E, de volta à Praça São Salvador, tem o ma-ra-vi-lho-so chorinho nas manhãs de domingo! Por volta de 11h!!! Porque Laranjeirense é boêmio. Acorda, come pastel na tenda do Bigode (de café da manhã!), acompanhado de uma caipirinha de tangerina + gengibre da barraca do Luizinho e – aí, sim – tá pronto pra curtir o som dos músicos que se apresentam no coreto.

Sem falar nos pratos gostosos e de preço acessível do Caneco 75, no pastel de palmito da Casa Brasil, no bolinho de Bacalhau da Adélia Portugália e na massa sincera do Luigi’s – tradicional e respeitado italiano das redondezas!  Nham, nham! Minha mais recente REdescoberta: o pastel de queijo não derretido do boteco Sonho Lindo. Cruzes, não consigo parar de falar em pastéis!  E ainda tem o clima aconchegante do Café Maya, na General Glicério. Sim, papo de mesa, pra mim, é importante. Pra Laranjeiras também.

carnavalAcho que é isso! Laranjeiras tem um desenho, tem atitude. Não tem 50 bares sem identidade espremidos em cinco quadras, mas tem cinco bares dos quais você se lembra com afeto…Tem cara de bairro carioca, em que o vizinho te cumprimenta quando você tá na fila do pão. Tem preços menos desonestos do que a Zona Sul acima – ainda mais para quem começa a empreitada da vida num novo apezinho e, ainda por cima, sozinho…Tem diversão, arte e música ao ar livre, que custam R$ 0,00 pro seu bolso e pro do vizinho.

E fica tudo tão pertinho! Dez minutos até a Zona Norte, dez minutos ao Centro, oito minutos de Santa Teresa, dez minutos até a “alta” Zona Sul…Fica também a uma rápida e linda caminhada até o Aterro do Flamengo prum piquenique de fim de semana…Segredinho: minha mais nova descoberta – e paixão – é a quase Praia de Laranjeiras. Tá, a praia com a vista mais linda da cidade é a do Flamengo, mas a linha entre os dois bairros é tão tênue…Abre o coração e tenta, numa hora dessas, estender a canga na areia da Baía pra curtir o visual! Você não vai se arrepender…E seu um dia eu quiser ir à Praia de Ipanema…Tudo bem, ainda tem o 584. Só não sei se o bus ainda é demorado, porque, agora, quando quero dar pinta por lá, não mofo no ponto de ônibus, tampouco sofro pra estacionar…. Pego o metrô aqui pertinho, como uma esfiha de queijo antes (aquela, a melhor do mundo, a do Largo do Machado), abro o meu livro, ponho meu fone no ouvido…Demoro 15 minutinhos, nunca pego trânsito, e ainda vou no ar-condicionado.”

Sem títuloNota do Apezinho: as lindas imagens desse post foram retiradas perfis do Instagram do Roberto Tostes e Rua das Laranjeiras.

 

 

 

 

 Se você quer ler outras declarações de amor recomendamos os posts do Roney sobre Copacabana, Cintia sobre Londres e Moya sobre Berlim!

Você também pode gostar de

6 Comentários

  • Responda Rozana setembro 5, 2013 at 2:47 pm

    Ótima matéria,não troco esse bairro por nada!!!! Faltou vc falar que o Mercadinho São José voltou a bombar, um novo bar o Botero e o bar do B levantaram aquele espaço de novo e está muito bom!!!!Mais um ponto para Laranjeiras!

  • Responda gisela setembro 6, 2013 at 1:23 am

    É verdade, Rozana! Faltou falar do Mercadinho! Ótima lembrança! Frequento desde que vendia galinha viva. Outro dia, fui lá e vi que, além daquele tradicional bar em frente à porta, tem um à esquerda que tá bombando, com uma pista de dança no mezanino. Pelo menos no dia em que eu fui, o som era ótimo! Pensei em comemorar meu aniversário lá! Daqui a pouco a gente vai lembrar de outra coisa que eu deixei de citar. Ainda bem, né?! ;)

  • Responda setembro 8, 2013 at 10:01 am

    Parabéns pelo blog e pela matéria!
    Gisela, você fala com tanta paixão desse bairro que chega a dar muita vontade de passar uma temporada aí, só pra conhecer esses lugares todos que citou. Fui algumas vezes a Laranjeiras e é um lugar tranquilo, que desperta memórias reais e imaginárias. Voltarei lá pra conferir ao menos os pastéis e a Casa Rosa.

  • Responda mary munhê setembro 9, 2013 at 6:41 pm

    Parabéns pelo blog e pelo texto. eu e meu marido nos mudamos para o Catete há três anos e tb estamos adorando descobrir esta região da cidade, tão charmosa e tão cheia de coisas boas!!!! É um RJ que poucos conhecem e uma delícia de vivenciar!!! D+ mesmo!!!

  • Responda Fabiana janeiro 9, 2014 at 3:13 pm

    Sim, o 584 ainda demora tanto quanto quando na sua adolescencia! Faz vc muito bem em ir de metrô!

  • Responda apezinho de atitude – Viver Bem junho 7, 2016 at 12:33 pm

    […] lugares fora dos roteiros tradicionais, segue suas bandas preferidas de rock pelo mundo, defende o bairro de Laranjeiras com paixão. Seu apezinho diz muito sobre ela. É vivo, cheio de referências, reflete seus amores […]

  • Deixe uma resposta