buscar

Liberdade, liberdade

março 27, 2014

Em algum momento da vida a gente tem uma vontade incontrolável de pegar a mochila e ir embora. O desejo de se jogar no mundo, pra conhecer lugares e pessoas, torna-se tão necessário quanto respirar. Quem consegue realizar esse sonho, guarda a experiência da viagem em um lugar muito especial da memória. E suspira sempre que lembra da sensação de liberdade, um por do sol, prato inesquecível, sons, cheiros, ah, que saudade…

Mas esse post não fala desse tipo de pessoa, nós, a grande maioria, que viaja, mas depois volta pra sua vida e tudo bem. Esse pessoal não tem a menooor pressa de retomar a vida que deixou pra trás, ao contrário, eles ficam felizes sem apezinho, segurança e rotina casa-trabalho-casa. Alguns nem voltam pra ela, na verdade. E tudo bem também.

O cartão de visita aqui é número de países e quilômetro rodado!

Ale Rizzo – Querido amigo de longa data, o cara da foto da bicicleta aí em cima! Há 25 anos pedala pelas estradas da Europa, Oriente Médio, Austrália, Brasil e África. Mais de 35 mil km, 20 países e 4 continentes, muita coisa. Pergunta se ele tá pensando em parar? Nada!

Climb-A-Mountain-Fuck

Quirino Tomás tem experiência parecida com a do Ale. Já passou por mais de 25 países, entre Europa e Ásia. “Dormir numa montanha com trabalhadores da construção e viajar durante 15 dias em um país onde a única forma de comunicação era um smartphone”, foram dois dos muitos momentos registrados online.

Jorge Vassallo largou o emprego, vendeu o carro e deixou a casa que tinha alugado. Ia viajar durante um ano, mas… está nessa até hoje! Além de escrever um blog tem o livro “Até onde vais com 1000 euros?” Já rodou 65 países. O preferido? “Sem dúvida a Índia. Fui muitas vezes e por longas temporadas, é a minha segunda casa, tenho grandes amigos e sei que vou sempre voltar.”

“Pedro On The Road” é o apelido de António Pedro Moreira, que viajou nove meses e meio, 20 mil quilômetros em 314 caronas. Escreveu “Daqui Ali“. Sabe onde ele está agora? Em uma bicicleta indo pra África do Sul. Que disposição!

Leia as histórias do Quirino, Jorge e Pedro aqui.

A Sarah nos conta a sua viagem pelos Estados Unidos quando tinha 27 anos. Sem agenda, com pouca roupa, alimentação sofrível, mas completamente feliz! “Toda mulher deve viajar sozinha!” Animou? Então leia seu relato aqui.

Cold-and-alone

O Gustav Andersson tinha uma vida perfeita que o deixava infeliz. Chutou o balde. E criou um blog pra quem não quer ter endereço fixo. Ele nos conta as suas experiências e torce por um encontro com seus leitores em algum canto remoto do mundo!

E o Benjamin Jenks? Criou um site, o Adventure Sauce, com o objetivo de te ajudar a se descobrir, se divertir e nunca se entediar. O amigo fez um vídeo, uma graça, onde ele fotografa seu percurso em stop motion, já viu?

A australiana Jessica não pedala, navega! Sozinha, que tal? Dá uma olhada no blog da moça e veja o que ela conquistou. Muito muito corajosa, palmas!

Pra esse casal “lar é onde o bumbum descansa!” Dani e Caio são curitibanos e foram pra estrada em 2013. Leia o blog do casal alfanumérico!

Pra fechar, nosso casal Hypeness preferido, a Jaque e o Eme, nos dá de presente o Manifesto dos Nômades Digitais, seu mais novo projeto, onde eles vão provar que dá pra trabalhar, ganhar dinheiro e ter uma vida fantástica ao mesmo tempo.

Porque viajar é preciso, gente. Senão a vida fica muito sem graça.

I-will-never-forget-this-moment

 

Você também pode gostar de

Nenhum comentário

Deixe uma resposta